PUBLICIDADE
Topo

Acionistas processam Netflix após queda de assinantes por enganar mercado

Netflix enfrenta processo movido por acionistas - Chesnot/Getty Images
Netflix enfrenta processo movido por acionistas Imagem: Chesnot/Getty Images

Colaboração para Splash, em São Paulo

04/05/2022 18h57

A Netflix enfrenta um processo movido pelos seus próprios acionistas, que acusam a empresa de ter enganado o mercado no que diz respeito à capacidade de aumentar o número de assinantes da plataforma no primeiro trimestre de 2022.

Segundo informações do The Hollywood Reporter, em uma queixa apresentada ontem no tribunal federal da Califórnia, os investidores processam a gigante do streaming por "ser excessivamente otimista sobre suas perspectivas de negócios, enganando-os sobre a perda de assinantes".

"Como resultado de atos ilícitos e omissões dos réus, e do declínio vertiginoso no valor de mercado dos títulos da companhia, o autor [acionistas] e outros membros da classe sofreram perdas e danos significativos", diz a queixa.

Em abril, a Netflix divulgou a perda de 200 mil assinantes no primeiro trimestre de 2022. Foi a primeira vez em anos que o serviço de streaming não aumentou a sua base de usuários. Na ocasião, a empresa atribuiu a queda à economia lenta, à concorrência cada vez mais acirrada de outras plataformas de streaming e à guerra na Ucrânia — em carta aos acionistas, a Netflix afirmou que teria ganhado 500 mil usuários caso não tivesse suspendido o serviço na Rússia.

Além de um aviso de que esperava perder mais dois milhões de assinantes no próximo trimestre, as ações da Netflix caíram 35%.

O processo dos acionistas menciona os co-CEOs da empresa, Reed Hastings e Ted Sarandos, e o diretor financeiro Spencer Neumann. A ação busca indenização para investidores que negociaram ações da gigante do streaming entre 19 de outubro de 2021 e 19 de abril de 2022.