PUBLICIDADE
Topo

Quem é o brasileiro que tocou com Bruno Mars na abertura do Grammy

O guitarrista brasileiro Mateus Asato tocou com Bruno Mars, Anderson Paak e o Silk Sonic na abertura do Grammy 2022 - John Esparza
O guitarrista brasileiro Mateus Asato tocou com Bruno Mars, Anderson Paak e o Silk Sonic na abertura do Grammy 2022 Imagem: John Esparza

Renata Nogueira

De Splash, em São Paulo

04/04/2022 12h11

Tinha brasileiro ontem no palco do Grammy e não era a Anitta! O guitarrista Mateus Asato, de Campo Grande, tocou na abertura da cerimônia ao lado de Bruno Mars, Anderson Paak e o Silk Sonic, artistas que gabaritaram as quatro categorias em que concorriam. O grupo ficou com música e gravação do ano, além de melhor música e performance R&B por "Leave The Door Open".

Essa foi a primeira vez que Mateus tocou no Grammy. Bruno Mars já acompanhava o trabalho dele desde 2018 e foi quem o convidou para fazer parte do projeto Silk Sonic. "Dividir o palco com Bruno Mars, Anderson Paak e o Silk Sonic nesses últimos meses tem sido uma das coisas mais inspiradoras que já aconteceram na minha vida, musicalmente falando", escreveu Asato ontem em seu Instagram, plataforma que o revelou.

Com sete anos de carreira profissional, o brasileiro de 28 anos já fez turnês com Tori Kelly e Jessie J. Em um backstage de um festival na Bélgica, acabou cruzando com Bruno Mars, que o abordou para elogiar seu trabalho, que ele já acompanhava pelo Instagram. Outro guitarrista famoso que sempre o stalkeava e elogiava na rede social era John Mayer.

"Perguntam se eu sou o garoto que faz os vídeos de guitarra no Instagram", lembrou Mateus Asato sobre essas abordagens em uma entrevista ao UOL, em 2018. No início da carreira, seus vídeos tocando guitarra na rede social viralizaram. Hoje, ele tem menos tempo para se dedicar à plataforma e chegou a ficar 14 meses sem publicar.

O interesse na guitarra surgiu aos 9 anos de idade, por influência de um primo. Mas o primeiro clique para que a música se tornasse uma profissão só viria em 2010, quando Mateus venceu um disputado concurso de guitarra e foi orientado por alguns agentes a se profissionalizar em Los Angeles.

"Até então nunca tinha passado pela minha cabeça morar nos Estados Unidos", diz o músico, que estava no segundo ano do Ensino Médio e já se estudava pensando em uma carreira mais tradicional, a medicina.

Foram três anos para amadurecer a ideia e se preparar para a mudança de país. Em 2013 se matriculou no Musicians Institute in Hollywood e, assim que terminou o curso, foi escalado para acompanhar Tori Kelly na turnê de 2015. Apesar da formação profissional, Mateus foi da igreja em que tocava no Mato Grosso do Sul direto para palcos de grande estrutura nos Estados Unidos e Canadá.

Ainda em 2015, na turnê com Tori Kelly, o guitarrista teve uma das grandes oportunidades da sua vida. Ele conheceu Prince e chegou a visitar a lendária casa do músico em Minneapolis.

"Foi fantástico. Tinha uma mesa de ping pong dentro do estúdio dele. E a banda dele também estava lá. Ficamos jogando ping pong. Foi uma experiência incrível entrar lá e ver todas aquelas premiações, todos os discos...", recorda. Prince morreria no ano seguinte.

No Brasil, o músico de Campo Grande já gravou com Luan Santana, Di Ferrero e fez uma parceria com Sandy em seu projeto Nós, Voz, Eles, de 2018.