PUBLICIDADE
Topo

Após 'Bebel': veja quem já morreu do elenco de 'A Grande Família' original

A primeira versão de "A Grande Família" - Reprodução
A primeira versão de "A Grande Família" Imagem: Reprodução

Gabriel Dias

Colaboração para Splash

30/03/2022 04h00

A primeira versão da série televisiva "A Grande Família" foi exibida entre 26 de outubro de 1972 e 27 de março de 1975. Nesta terça-feira (29), a atriz Djenane Machado, que interpretou a Bebel na 1ª temporada da série, faleceu aos 70 anos. Ela foi a quinta intérprete original da série a falecer.

A primeira versão de "A Grande Família" estreou em 1972, indo ao ar no horário de quinta-feira, às 21h. Inicialmente, a comédia era inspirada na série norte-americana "All In The Family" (1971-1979), da CBS. Mas, a partir da 2ª temporada, a família passou a ser retratada com características mais próximas do cotidiano brasileiro.

O roteiro da atração também começou a apresentar uma forte dose de crítica social e política, o que era feito por meio de metáforas, para driblar a censura da época.

A série fez muito sucesso entre o público, que se identificou com os problemas da família. O programa chegou ao fim em 27 de março de 1975, pouco depois de iniciar sua transmissão a cores.

Saiba quais os atores que já morreram da primeira versão da série.

Jorge Dória (1920-2013)

jorge dória - fotos da carreira - Janete Longo/Folhapress - Janete Longo/Folhapress
Jorge Dória, o primeiro Lineu de 'A Grande Família'
Imagem: Janete Longo/Folhapress

Intérprete do patriarca Lineu, Jorge Dória morreu no dia 6 de novembro de 2013, aos 92 anos, após complicações cardiorrespiratórias e renais. Ele havia ficado cerca de dois meses internado no Centro de Terapia Intensiva do Hospital Barra D´Or, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Dória nasceu no bairro de Vila Isabel, na capital carioca. Ele estreou no teatro em 1942, na Companhia Eva Todor, onde permaneceu por quase dez anos. Na década de 1960, seu trabalho em teatro mais marcante foi em "Procura-se uma Rosa", escrita por Vinicius de Moraes, Pedro Bloch e Gláucio Gil, e dirigida por Léo Jusi.

Iniciou sua carreira na televisão em 1953, atuando na novela "Delícias da Vida Conjugal", da TV Tupi, mas a passagem pela TV consolidou-se a partir da novela "E Nós, Aonde Vamos?", da TV Rio.

Após sua participação em "A Grande Família", tornou-se uma presença constante nas novelas e nos programas de humor.

Luiz Armando Queiroz (1945-1999)

Luiz Armando de Queiroz - Reprodução - Reprodução
Luiz Armando Queiroz, o primeiro Tuco de 'A Grande Família'
Imagem: Reprodução

O primeiro Tuco da televisão faleceu em 16 de maio de 1999, aos 54 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos, causado pela quimioterapia quando se recuperava de um câncer linfático. Ele descobriu a doença em dezembro de 1998.

Luiz Armando Queiroz fez muito sucesso na televisão em papéis como Cláudio da novela "Cuca Legal" (1975), Belchior da novela "Estúpido Cupido" (1976), Tuco da primeira versão da série "A Grande Família" (1973), e Tito Moreira França da novela "Roque Santeiro" (1985), todos na TV Globo.

Ele também teve trabalhos na TV Bandeirantes em "Os Imigrantes" (1981), e na TV Manchete, onde viveu um vilão inesquecível, o personagem Rodrigo de "A História de Ana Raio e Zé Trovão" (1990),

Queiroz também foi diretor das novelas "A Idade da Loba" (1995) na TV Bandeirantes, "Os Ossos do Barão" (1997) no SBT e a minissérie "Chiquinha Gonzaga" (1999) na TV Globo.

Brandão Filho (1910-1998)

1988 - Os atores Brandão Filho e Betty Faria em cena do filme "O Romance da Empregada"  - Reprodução - Reprodução
Brandão Filho, o primeiro Seu Floriano de 'A Grande Família', ao lado de Betty Faria em cena do filme 'O Romance da Empregada'
Imagem: Reprodução

O primeiro Seu Floriano faleceu em 1998, de câncer, após sofrer duas paradas cardiorrespiratórias e permanecer internado por quarenta dias no Hospital de Clínicas Rio Mar, na Barra da Tijuca.

Filho do ator João Augusto Soares Brandão (1844-1921), estreou nos palcos em 1929, em um circo. Em 1942 foi convidado para participar da primeira radionovela brasileira, "Em Busca de Felicidade", da Rádio Nacional.

Fez sucesso na televisão em programas e seriados cômicos como "Uau", "Balança Mas Não Cai", "Faça Humor, Não Faça Guerra", "Viva o Gordo", "Chico Anysio Show", "Estados Anysios de Chico City" e a primeira versão de "A Grande Família".

Logo após sua participação na série, atuou em novelas como "Bravo!", "Saramandaia", "Nina", "Sinal de Alerta", "Te Contei?", "Feijão Maravilha", "Chega Mais", "Plumas e Paetês" e "O Salvador da Pátria".

Eloísa Mafalda (1924-2018)

A atriz Eloísa Mafalda em foto de 1991 - Folhapress - Folhapress
Eloísa Mafalda, a primeira Nenê de 'A Grande Família'
Imagem: Folhapress

Em 16 de maio de 2018, a atriz que interpretou a matriarca Nenê morreu em sua casa na cidade fluminense de Petrópolis, devido a uma insuficiência respiratória.

Eloísa iniciou sua vida artística trabalhando em radionovelas da Rádio Nacional. Na televisão, a atriz interpretou papéis como Maria Machadão em "Gabriela", Dona Mariana em "Paraíso", Gioconda Pontes em "Pedra sobre Pedra", Manuela em "Mulheres de Areia" e um dos seus maiores sucessos, Dona Pombinha Abelha em "Roque Santeiro".

No cinema, atuou no filme "Somos Dois". No teatro, estreou em 1965, na adaptação teatral de "Wuthering Heights".

Com déficit de memória, devido à doença de Alzheimer, a atriz conviveu por muitos anos com as sequelas de uma fratura no fêmur, após uma queda em casa.

Djenane Machado (1951-2022)

Atriz Djenane Machado - Divulgação - Divulgação
Djenane Machado, a primeira Bebel de 'A Grande Família'
Imagem: Divulgação

A atriz que interpretou a Bebel na 1ª temporada da primeira versão de "A Grande Família" faleceu nesta terça (29). A causa da morte ainda não foi divulgada.

Djenane era filha do diretor Carlos Machado, que morreu em 1992 e ficou famoso no Rio de Janeiro pelo apelido "Rei da Noite". Ela estreou na televisão em 1968, na novela "Passo dos Ventos". Depois, emplacou trabalhos nos folhetins "Rosa Rebelde", "A Ponte dos Suspiros", "Véu de Noiva", "Assim na Terra Como no Céu", entre outros.

Fez muito sucesso com a personagem Lucinha Esparadrapo na novela "O Cafona", em 1971. O último trabalho da artista na TV foi em "Novo amor", de 1992.