PUBLICIDADE
Topo

Defesa de Garnero: Cris tem 'questões passionais' com o ex e atos 'insanos'

Colaboração para Splash, em São Paulo

23/01/2022 14h59Atualizada em 24/01/2022 13h04

O advogado do empresário Álvaro Garnero rebateu as acusações de estelionato feitas pela ex-namorada dele, Cristiana Arcangeli. Segundo o representante, ela tem "problemas passionais mal resolvidos" com Garnero e, por isso, entrou na Justiça contra Garnero.

Além de estelionato, Cris, que participou do programa "Shark Tank Brasil" e é empresária e CEO da Beauty'in, acusa o ex-companheiro de organização criminosa e lavagem de dinheiro em uma ação protocolada na última quinta-feira (20), em São Paulo.

"Esse mesmo assunto já foi objeto de pedido da Sra. Cristiana Arcangeli de instauração de inquérito policial, no qual, em janeiro de 2020, o magistrado atuante no caso concluiu pela ausência de quaisquer 'indícios de caráter criminoso na conduta descrita, porque inexistente'", afirma o advogado Nelson Wilians, que representa Álvaro Garnero, em nota enviada a Splash.

"Parece que nesse caso há problemas passionais mal resolvidos, e estamos diante de um nítido e clássico caso de 'jus sperniandi' para criar embaraços e constrangimento sem motivo legal. As investidas infundadas da Sra. Cristiana Arcangeli em macular a imagem do Sr. Álvaro são objeto, inclusive, de pedido de indenização", prossegue o texto.

"De forma simples, usar a justiça com denunciação caluniosa, distorcendo a realidade dos fatos na busca de uma 'vingança' pode ser caracterizado um dos crimes contra a administração da justiça. Acreditamos na Justiça que, inclusive, já se manifestou noutras ocasiões quanto aos atos insanos da Senhora Cristiana", conclui o comunicado.

Splash entrou em contato com Cris para repercutir a nota da defesa. O espaço segue aberto.

Investimento de US$ 300 mil perdido

Os empresários Cristiana Arcangeli e Álvaro Garnero começaram a namorar em 2010 e terminaram o relacionamento em 2015. No entanto, mantiveram uma boa relação e eram "muito amigos", segundo informou Cris a Splash.

No processo movido pela empresária, o qual a reportagem teve acesso, ela relata que entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018 foi "captada" por Álvaro para realizar um investimento no mercado de criptomoedas, em especial com direcionadas às bitcoins.

Cris teria transferido US$ 300 mil para uma conta bancária da titularidade de Álvaro em um banco em Nova York. Desde então, ela não teve mais notícias do montante, exceto por depósitos picados que não totalizaram R$ 100 mil, segundo o processo, que tem quase 1.500 páginas.

A empresária indica que chegou a desconfiar do contrato e cobrou o companheiro sobre o assunto, mas percebeu que ele estava se esquivando da responsabilidade. Segundo ela, Álvaro afirmou que o investimento havia sido realizado pela empresa Hibridos.

Na ocasião, os responsáveis pela empresa — Hélio Caxias Ribeiro Filho e a mulher dele, Thalia Alves Andrade Ribeiro — estavam sendo alvo de investigações. Segundo consta no processo, Álvaro sabia da suspeita.

O processo também aponta envolvimento direto de Álvaro na empresa e traz manchetes de clientes que perderam investimentos que foram aplicados pela Hibridos, que chegou a ser condenada por fraude.

Cris diz que tentou por dois anos reaver o valor perdido e, por não conseguir, entrou na Justiça.

Esperança de justiça, diz advogado

Em nota enviada a Splash, o advogado da empresária, Pedro Abrão, afirmou que "Cristiana não viu alternativa, já que o Sr. Álvaro Luiz Monteiro de Carvalho Garnero, em suas manifestações, insiste em se desvincular de Hélio Caxias Ribeiro Filho e das empresas em que este esteve ligado, malgrado todas as provas existentes".

"Caberá à polícia, ao Ministério Público e ao Poder Judiciário as conclusões sobre os fundamentos e provas apresentadas, seguindo a empresária Cristiana Arcangeli na esperança de que a justiça seja feita", finaliza comunicado.

Splash não conseguiu localizar a defesa de Hélio Caxias Ribeiro Filho. O paradeiro do empresário é desconhecido.