PUBLICIDADE
Topo

Neta de Elza Soares se emociona e afirma: 'Brigava e lutava pela razão'

Tatiana Campbell

Colaboração para Splash, do Rio de Janeiro

21/01/2022 10h42Atualizada em 21/01/2022 14h26

Vanessa Soares, neta de Elza Soares, se emocionou no velório da cantora, que aconteceu hoje no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Para Splash, ela comentou sobre o carinho que a artista tinha com o próximo e destacou a força que Elza deixou na família.

"A impressão que eu tenho é que a minha avó queria que quando ela fosse para um outro plano de vida que eu estivesse ali com ela. Nós sempre fomos muito juntas, estávamos morando juntas. A família é feita de mulheres fortes e a minha avó me ensinou isso. Ela não dava bronca em ninguém, ela só dava amor, ela respondia com beijos. Elza era uma mulher que brigava e lutava pela razão, pelo amor e ela estava cercada de amor quando se foi".

Um dos sonhos e projetos da artista era lançar a carreira musical da bisneta. Maria Eduarda, de 19 anos, vai realizar esse sonho em homenagem a avó.

"Aquela mulher deixou muitas lembranças, não existem lembranças ruins. Ela era incrível, ela mereceu todo o amor que o mundo deu pra ela. Ela batalhou muito para chegar aonde está, ela foi incrível", continuou.

A primeira parte, até às 10h, foi restrita para familiares e amigos. A todo o momento, parentes e amigos da artista se abraçam. A filha e a neta da cantora chegaram ao local pouco antes das 8h.

A cerimônia foi aberta ao público das 10h às 14h antes de seguir em cortejo pela cidade.

Enterro

O enterro será realizado no cemitério Jardim da Saudade, no Jardim Sulacap, com o translado do corpo feito pelo carro do Corpo de Bombeiros com trajeto passando pela Avenida Atlântica.

O velório no cemitério, assim como o enterro, serão restritos aos familiares e amigos.

A prefeitura do Rio de Janeiro decretou três dias de luto na capital em homenagem a artista carioca.

Amanhã decreto luto oficial de 3 dias no Rio pela perda dessa grande carioca! Mulher! Guerreira! Elza Vive! pic.twitter.com/FTbWqd7fld

-- Eduardo Paes (@eduardopaes) January 20, 2022

Elza foi considerada pela BBC a "voz brasileira do milênio", em 1999, e venceu o Grammy Latino na década seguinte. Porém, o início na música foi na década de 1950. Ela subiu ao palco do "Calouros em Desfile", programa comandado por Ary Barroso, e cantou "Lama". O primeiro contrato foi assinado em 1960, incluindo ainda uma turnê internacional.

Após mais de 30 álbuns na carreira, a última década marcou uma nova fase para ela. Em 2015, Elza lançou o álbum "A Mulher do Fim do Mundo", seu primeiro em oito anos. O disco foi visto como um renascimento em sua já consagrada carreira e foi eleito como um dos maiores destaques do ano até mesmo por veículos internacionais.

Foi com ele que Elza garantiu sua primeira e única vitória no Grammy Latino, vencendo o prêmio de "Melhor Álbum de Música Popular Brasileira". Seu disco seguinte, "Deus é Mulher", de 2018, também foi nomeado na mesma categoria.

Uma de suas últimas publicações foi pedindo para a população se vacinar contra a covid-19. Em um depoimento, ela conta que se recuperou da doença e que, graças as três doses, não teve sintomas.

"Eu tive covid, gente, e as vacinas salvaram minha vida. Fiz questão de gravar esse depoimento, de mostrar meu exemplo para pedir para vocês que vacinem-se!", pediu.