PUBLICIDADE
Topo

'Sinto que represento 18 milhões de pessoas', disse Sidney Poitier

Sidney Poitier em cena em "Construindo um Sonho" (2001) - Divulgação
Sidney Poitier em cena em "Construindo um Sonho" (2001) Imagem: Divulgação

Fernanda Talarico

De Splash, em São Paulo

07/01/2022 17h48

Sidney Poitier morreu nesta sexta-feira, aos 94 anos, e mudou a maneira como Hollywood enxergava atores negros. Estrela de filmes como "No Calor da Noite" (1967) e "Adivinhe Quem Vem Para o Jantar" (1967), o artista mudou o estigma de negros subjugados no cinema e se tornou um ídolo para a comunidade.

Ele entrou para a história cinematográfica ao ser o primeiro homem negro a ganhar o Oscar na categoria de Melhor Ator, por viver o operário desempregado Homer Smith em "Uma Voz nas Sombras" (1963). No longa, o personagem está viajando de carro por uma estrada remota, quando seu carro começa a superaquecer e ele se vê obrigado a parar para pedir ajuda a freiras que moram no local. Assim, a vida de Homer muda para sempre, de uma maneira que ele não esperava.

Ao receber o Oscar em 1964, aos 37 anos, ele também se tornou o homem mais velho até então a ser premiado. No entanto, essa não foi a primeira vez que Poitier concorreu à estatueta: ele já tinha sido indicado à mesma categoria, em 1958, por "Acorrentados" (1958).

A nomeação como Melhor Ator ocorreu na mesma época em que os direitos civis estavam progredindo nos Estados Unidos. Tanto Homer Smith, de "Uma Voz nas Sombras", como em seus outros filmes, seus personagens mostravam os objetivos pacíficos da luta integracionista.

Assim, ele se tornou um dos atores mais importantes da época e teve seus filmes como as maiores bilheterias. Uma prova disso é que, na época, a revista Box Office fez uma lista com os nomes mais rentáveis de Hollywood, e Sidney Poitier ficou em quinto lugar, atrás apenas de Richard Burton, Paul Newman, Lee Marvin e John Wayne.

Com tamanha importância, sua carreira foi bastante significativa para as questões raciais das décadas de 1950 até 1970, e o próprio Poitier sabia disso. Em entrevista relatada pelo The New York Times, o ator reconheceu sua relevância para o assunto.

Eu sinto como se eu representasse 15, 18 milhões de pessoas com cada movimento que eu faço.

Sidney Poitier nasceu em 20 de fevereiro de 1927, a bordo de um veleiro a caminho de Miami, nos Estados Unidos. Sua família era das Bahamas e se mudava ao país para tentar uma vida melhor. No entanto, ele viveu uma infância bastante pobre.

Em 1943, ele se alistou para combater durante a Segunda Guerra Mundial. Depois desse período, focou seus esforços nas artes e não desistiu até ser chamado para atuar. Em 1950, estreou no cinema com "O Ódio é Cego" e não parou mais.

Seu último trabalho foi em 2001, quando viveu Henry Cobb no filme feito para a TV "Construindo um Sonho".

Sidney Poitier deixa a esposa, Joanna Shimkus, seis filhos, oito netos e três bisnetos.