PUBLICIDADE
Topo

Ator de 'Scandal' sobre Mel Gibson: "Cultura do cancelamento não existe"

Mel Gibson como protagonista de "O Patriota", de 2000 - Divulgação
Mel Gibson como protagonista de 'O Patriota', de 2000 Imagem: Divulgação

Colaboração para Splash, em São Paulo

06/12/2021 21h41Atualizada em 06/12/2021 21h41

O ator Joshua Malina, que participou da série 'Scandal', escreveu uma coluna de opinião sobre Mel Gibson e sua carreira.

Para o site da revista 'The Atlantic', Malina colocou suas críticas ácidas sobre o diretor já consagrado na coluna "Cancelem Mel Gibson". Na publicação, ele diz que a reflexão sobre a carreira ainda em andamento do ator veio até ele após a notícia de que Gibson estaria dirigindo o novo filme da franquia 'Máquina Mortífera', e questiona: "O que um cara deve fazer hoje para que esteja numa lista de proibidos em Hollywood?", e ainda completou que "não poderiam me pagar o suficiente para trabalhar com Mel Gibson".

Joshua Malina, que é descendente de judeus, falou também sobre o passado controverso de Gibson e suas falas antissemitas. Ele disse que este fato pode parecer pequeno, mas relembrou os ataques enfrentados pelos judeus nos Estados Unidos. "Judeus foram vítimas em mais de 50 ataques em crimes de ódio religioso ano passado", completando com a pergunta: "Essa é mesmo a hora de glorificar um homem como Mel Gibson?"

Malina ainda falou sobre a cultura de cancelamento e seu poder -ou falta dele. "Se Gibson é bem-vindo de volta para dirigir a última parte desta adorada franquia, pode ser a hora de pararmos de publicar colunas e opiniões sobre o poder da 'cultura do cancelamento'. Porque se ele consegue achar grandes lucros e aprovação em Hollywood, a cultura do cancelamento simplesmente não existe".

O diretor de 'A Paixão de Cristo' foi procurado pelo jornal New York Post para responder os comentários, mas não comentou o caso.