PUBLICIDADE
Topo

Portador de Parkinson, Michael J. Fox diz que não tem medo da morte

Michael J. Fox  - Roy Rochlin / WireImage
Michael J. Fox Imagem: Roy Rochlin / WireImage

Colaboração para Splash, em São Paulo

02/12/2021 12h03

O ator Michael J. Fox, de 60 anos, disse em entrevista para a revista AARP, que, apesar de conviver com Parkinson há 30 anos, ele não tem medo de morrer.

"Eu sou muito franco com as pessoas sobre curas. Quando me perguntam se fiquei aliviado em algum momento do Parkinson durante a minha vida, eu digo: 'Tenho 60 anos e a ciência é difícil. Então, não. Mas eu sou realmente um cara feliz. Não tenho um pensamento mórbido na cabeça, mas não tenho medo da morte", afirmou.

Fox ainda disse que a morte de seu sogro colocou sua própria mortalidade em perspectiva:

"Mas ao passar pela escuridão, também tive uma visão sobre meu sogro, que morreu e sempre defendeu gratidão, aceitação e confiança. Comecei a notar coisas pelas quais era grato e a maneira como outras pessoas reagiam às dificuldades com gratidão. Concluí que a gratidão torna o otimismo sustentável. E se você acha que não tem nada pelo que ser grato, continue procurando. Porque você não recebe apenas otimismo. Você mal pode esperar que as coisas estejam ótimas e então ser grato por isso. Você tem que se comportar de uma maneira que promova isso".

O diagnóstico da doença degenerativa veio em 1991, quando o astro tinha 29 anos. Na época, ele estava filmando "Doc Hollywood":

"Falei sobre sete ou oito anos depois de eu ter sido diagnosticado. Os paparazzi ficavam do lado de fora do meu apartamento e me xingavam, tipo, 'Qual é o problema com você?'. Eu pensei: 'Não posso fazer meus vizinhos lidarem com isso', então eu assumi, e foi ótimo. Foi ótimo. Foi uma grande surpresa para mim que as pessoas reagiram daquela maneira. Eles responderam com interesse, com vontade de encontrar uma resposta para a doença, e então vi isso como uma grande oportunidade. Não fui colocado nesta posição para desperdiçá-la", ressaltou.

Após descobrir a doença, o ator abriu a Fundação Michael J. Fox para a Pesquisa de Parkinson em 2000.