PUBLICIDADE
Topo

Vera Fischer faz 70 anos: atriz sofreu com vício em drogas e pai nazista

Vera Fischer - Reprodução/Instagram
Vera Fischer Imagem: Reprodução/Instagram

De Splash, em São Paulo

27/11/2021 04h00

Vera Fischer completa 70 anos hoje. A miss Brasil no ano de 1969, quando tinha apenas 17 anos, começou a atuar na televisão em "Espelho Mágico" (1977) e não parou mais.

Com uma carreira extensa na TV, cinema e teatro, Vera também ficou conhecida ao longo dos anos pelas diversas polêmicas em que esteve envolvida.

A artista teve um relacionamento conturbado com Felipe Camargo, enfrentou problemas com as drogas e revelou em sua autobiografia que seu pai era nazista. Confira:

Pai nazista

Vera contou em sua autobiografia "Vera, A Pequena Moisi" que seu pai, Emil Fischer, era um "nazista convicto". "Ele era alemão, nazista, mandava eu ler Hitler e batia muito em mim", disse a atriz em entrevista ao "Fantástico".

Emil Fischer nasceu em Karlsruhe, na Alemanha, e migrou para o Brasil. Ainda em sua biografia, Vera contou que levou um soco dele aos 14 anos, após sair com um namorado. "Eu subi para o quarto e escrevi no meu diário: 'vou matar meu pai'. Não precisei fazê-lo. A vida se encarregou disso. Ele morreu de câncer", escreveu a artista.

Apesar disso, no ano passado, Vera relembrou o pai com um post amoroso no Instagram. "Tu puseste em mim o bichinho da inquietude, da busca, da perseverança, da vida. E que bela vida a minha! Obrigada por teu amor gigante, teu caráter inabalável e teu espírito livre. Tenho muito orgulho de ti".

Acusada de agressão à funcionária

Em 1995, Vera Fischer foi acusada de agressão pela babá de seu filho Gabriel, da relação com Felipe Camargo.

A funcionária, chamada Sandra, registrou boletim de ocorrência e alegou ter sido ferida — na mão e no peito — com uma tesoura por Vera. A atriz teria se irritado pelo fato de a babá não trabalhar em um domingo.

À "Folha", Vera negou a acusação e insinuou que a funcionária teria uma relação com seu ex.

"Eu acho que todas as babás conseguem ser arrebanhadas por ele de alguma forma. Não sei se é porque ele tem algo de sedução com as mulheres. Pode ser delírio meu, mas eu tenho uma intuição muito forte de que pode ser isso. Mas não posso afirmar nada", declarou à época.

Dependência química

A atriz passou por cinco internações em clínicas de reabilitação para tratar do vício em cocaína. Vera diz que a última, em 2011, foi definitiva. "Depois que decidi largar, não teve volta. Essa é uma decisão construída ao longo do tempo, então, quando é tomada, já está enraizada na gente. Essa fase passou na minha vida — agora estou em outra", afirmou, em dezembro de 2018.

Ela disse também que começou a usar cocaína nos anos 1980, quando o consumo da droga "era moda".

Eu acho que todos que passam por isso, e conseguem superar, saem melhores. A experiência é um aprendizado, mas a saída das drogas é um aprendizado ainda maior. Cada um encontra um jeito de se libertar. No meu caso, foi por meio do meu próprio esforço. Eu saí quando quis sair, não houve nenhuma pressão de ninguém - e, quando houve, não funcionou. Tive que eu mesma botar na minha cabeça: 'Vai ser hoje'. E foi. Vera Fisher em entrevista à revista "Pop-se"

Papel polêmico na novela "Mandala"

Vera Fischer e Felipe Camargo em "Mandala" - Acervo/Globo - Acervo/Globo
Vera Fischer e Felipe Camargo em "Mandala"
Imagem: Acervo/Globo

Vera Fischer foi a protagonista de "Mandala" (1987), uma das novelas mais polêmicas da Globo.

A história dos personagens principais era baseada na lenda grega de "Édipo Rei", em que o filho, sem saber do parentesco, se apaixona pela própria mãe. Na trama, Vera vivia Jocasta e Felipe Camargo vivia Édipo, filho dela.

Numa época de censura, a emissora teve muito trabalho para conseguir permissão para exibir um beijo entre os atores. Mesmo assim, Jocasta e Édipo não ficaram juntos no fim da trama.

Relacionamento com Felipe Camargo

A relação polêmica na telinha acabou se tornando real. Vera e Felipe iniciaram um namoro e se casaram no ano seguinte, em 1988. A união foi marcada por desavenças entre os dois.

O ator chegou a ser internado com perfurações que supostamente teriam sido causadas por Vera com uma faca. Em outra ocasião, após uma briga, Felipe saiu da casa da mulher em alta velocidade e se envolveu em um acidente que causou a morte de um estudante universitário.

A gente se batia de tapa, jogávamos umas coisas, uma vez joguei um cinzeiro. Outra vez, ele quebrou o meu braço. Uma vez, ele foi parar no hospital. Tudo ciúme. disse a atriz em entrevista à Quem em 2009

Os dois se separaram em 1995 e iniciaram uma batalha judicial pela guarda do filho, Gabriel, que acabou ficando com Felipe devido aos problemas de Vera com as drogas.

Ambos voltaram a trabalhar em uma mesma novela em "Espelho da Vida" (2018). Apesar da relação conturbada no passado, o ator declarou que atualmente possui uma relação amistosa com a ex-mulher.

"Nossos personagens não contracenam juntos, mas já nos encontramos nos bastidores. Independente disso, sou pai do Gabriel e temos um relacionamento amistoso há bastante tempo. Mas isso não gera polêmica", disse Felipe.

Problemas em novelas

Vera Fischer e Tarcísio Meira em "Pátria Minha" (1994) - Reprodução/TV Globo - Reprodução/TV Globo
Vera Fischer e Tarcísio Meira em "Pátria Minha" (1994)
Imagem: Reprodução/TV Globo

Os problemas no relacionamento com Felipe Camargo acabaram causando a demissão dos dois da novela "Pátria Minha" (1994). Foi a primeira vez que a Globo afastou, oficialmente, dois funcionários de uma produção em andamento.

As brigas constantes entre o casal e os atrasos fizeram com que os personagens fossem "assassinados" na novela: o autor Gilberto Braga precisou criar um incêndio para justificar as mortes. Na época, à "Folha", Vera xingou Tarcísio Meira, que passou a ir para o estúdio só quando era avisado de que a atriz já estava lá.

"Tarcísio é um velho caquético. Quero que ele e todo mundo da Globo se fo***. Ninguém me expulsou. Eu que pedi a conta. Não quero mais saber da Globo. Vou trabalhar no SBT ou no exterior", declarou a atriz.

Após atuar em "Salve Jorge" (2013), a atriz voltou a fazer críticas a seu personagem na trama e, por tabela, à autora Glória Perez.

"O papel de Irina para mim é humilhante. Acho que não precisava me chamar para fazer essa novela! Os papéis de Totia Meireles e Claudia Raia (Wanda e Lívia) já se bastavam. Colocava então uma pessoa que estava começando, que precisa e tal. Eu não digo nada, eu não faço nada, eu não existo", disse Vera.