PUBLICIDADE
Topo

José Hamilton Ribeiro e 'repórter secreto' do Fantástico deixam a Globo

O jornalista José Hamilton Ribeiro - Divulgação/Globo
O jornalista José Hamilton Ribeiro Imagem: Divulgação/Globo

Lucas Pasin

De Splash, no Rio

25/11/2021 19h33Atualizada em 28/11/2021 14h17

Dois jornalistas que fizeram carreira na Rede Globo foram desligados da emissora hoje: José Hamilton Ribeiro, que estava há mais de 40 anos no jornalismo da Globo — com passagens pelo "Fantástico", "Globo Repórter" e "Globo Rural" —, e Eduardo Faustini, repórter investigativo do "Fantástico".

Splash apurou que os desligamentos foram amigáveis e causaram comoção na emissora, que vem reduzindo custos para amenizar a crise da pandemia.

A Rede Globo confirmou os desligamentos em nota enviada à reportagem e reforçou que a saída foi amigável: "Ambos saíram de comum acordo depois de uma linda trajetória na TV".

José Hamilton Ribeiro

Após trabalhar na "Folha de S. Paulo", o primeiro trabalho de José Hamilton para a Globo foi como freelance em uma reportagem exibida pelo "Globo Rural" na comemoração de seu primeiro ano de existência, em 1981. No ano seguinte ele passou a integrar a equipe fixa do programa.

Em 2006, recebeu o Prêmio Maria Moors Cabot, da Universidade de Columbia, um dos mais importantes prêmios do jornalismo nos Estados Unidos. Ele foi um dos vencedores na categoria Outstanding on Latin America, que homenageia profissionais que demonstraram comprometimento com a liberdade de imprensa e a compreensão das relações interamericanas.

Em mais de 60 anos de jornalismo, José Hamilton Ribeiro diz que aprendeu três coisas: "Primeiro, azeitona preta é tingida; segundo, nos banheiros, em geral, a torneira quente é a da esquerda; terceiro, de ovo de cobra, não sai canarinho. O resto eu aprendo todo o dia".

Na década de 1960, o jornalista perdeu a perna após pisar em uma mina terrestre durante a Guerra do Vietnã.

Entre as principais reportagens dele estão na "Trilha da Onça", "Um passeio pelo Vietnã", "O ciclo do tropeirismo", "O trabalho dos índios bakairis" e uma investigação científica no Rio Paraguai.

Eduardo Faustini ficou conhecido como o "repórter secreto" do "Fantástico", na Globo - Reprodução - Reprodução
Eduardo Faustini ficou conhecido como o "repórter secreto" do "Fantástico", na Globo
Imagem: Reprodução

Eduardo Faustini

Já Eduardo Faustini ganhou o apelido de "O Repórter Secreto" do Fantástico, e estava na Globo desde 1996. Ele jamais exibiu o rosto na televisão para preservar a integridade física, mas, apesar disso, já foi ameaçado durante as investigações.

Ele fez reportagens que levaram à prisão do ex-coronel da PM, acusado de comandar grupos de extermínio, Hildebrando Pascoal. Ele também flagrou corrupção explícita por partes de fornecedores da Prefeitura de São Gonçalo, casos de corrupção em Rondônia.

Outro caso importante foi o especial "Diário de uma guerra suja", que mostrava a luta entre policiais e traficantes do Rio.

Em 2014, estreou mais uma série de reportagens no "Fantástico", chamada "Cadê o dinheiro que estava aqui?", onde investiga onde denúncias sobre desvios de impostos.

Crise na Globo

Conforme informou o colunista de Splash Guilherme Ravache, a Globo fechou o primeiro semestre de 2021 com um prejuízo de R$ 144 milhões. O número representa uma piora de 122% em relação a 2020, quando a empresa teve um prejuízo de R$ 51 milhões no mesmo período.

O resultado negativo chama atenção, uma vez que desde 2019 a empresa tem realizado seguidos cortes de colaboradores.

Inclusive, nos últimos meses, o número de estrelas que deixa a Globo parece ter acelerado. Faustão, Tiago Leifert, Lázaro Ramos, Ingrid Guimarães, Vera Fischer, Antônio Fagundes e Reynaldo Gianecchini estão entre as recentes baixas.

Ricardo Feltrin, em sua coluna em Splash, salienta que a emissora vem registrando os piores índices de ibope, o menor faturamento e o menor lucro líquido.