PUBLICIDADE
Topo

Kevin Spacey vai pagar R$ 170 mi por quebra de contrato em 'House of Cards'

Kevin Spacey em cena de "House of Cards", da Netflix - Reprodução
Kevin Spacey em cena de "House of Cards", da Netflix Imagem: Reprodução

De Splash, em São Paulo

22/11/2021 16h01

Kevin Spacey deve pagar à produtora da série "House of Cards", MRC Entertainment, quase US$ 31 milhões por má conduta sexual nos bastidores da série. A informação foi divulgada pelo THR.

O ator, que interpretou Frank Underwood na série da Netflix, foi cortado do projeto após denúncias de abuso contra jovens. As acusações, que incluíam tocar um assistente de produção, fizeram com que o MRC conduzisse uma investigação e, por fim, rescindisse seus contratos de atuação e produção.

De acordo com a decisão de 19 de outubro, Spacey violou repetidamente as obrigações contratuais de fornecer serviços "de maneira profissional" e "consistente com as orientações, práticas e políticas razoáveis" da produtora.

Além disso, a produtora teve que interromper a sexta temporada da série, reescrever a temporada e encurtá-la de 13 para oito episódios para cumprir o prazo de entrega.

Por sua vez, Spacey alegou ainda ter direito ao dinheiro em seu acordo e argumentou que foi a decisão da MRC e da Netflix de demiti-lo — ou seja, não sua conduta — que causou perdas financeiras.

Desde 2017, pelo menos 20 homens acusaram o ator de assédio e abuso sexual. Os crimes teriam acontecido quando muitas das vítimas eram menores de idade.

O primeiro relato público de uma denúncia de abuso veio do ator Anthony Rapp, que denunciou que Spacey abusou dele quando tinha 14 anos, em 1986.

O último papel de destaque de Spacey foi em "O Clube dos Meninos Bilionários", de 2018. O filme não foi bem nas bilheterias.

Ele perdeu seu papel em "House of Cards", mas continuou postando vídeos caracterizado como seu personagem, Frank Underwood. No ano passado, comparou sua situação à das pessoas que perderam os empregos durante a pandemia.