PUBLICIDADE
Topo

'Revoltante', diz George Clooney sobre acidente em filme de Alec Baldwin

George Clooney deu seu parecer sobre a tragédia de "Rust" - Henry Nicholls
George Clooney deu seu parecer sobre a tragédia de 'Rust' Imagem: Henry Nicholls

Colaboração para Splash

16/11/2021 15h11

O acidente que matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins nos bastidores de "Rust", filme produzido e protagonizado por Alec Baldwin, 63 anos, continua dando o que falar na mídia internacional.

Nesta semana, foi a vez de o astro hollywoodiano George Clooney, 60, dar sua opinião a respeito dos fatos que levaram à tragédia com Halyna, vítima de um disparo feito por Baldwin com uma arma cênica que não deveria estar carregada.

"Não conheço o Alec tão bem assim. Tenho lido as notícias e já decidiram que o errado da história é o assistente de realização [David Halls]. Mas, durante os 40 anos que tenho estado nos sets, a pessoa responsável pela arma foi a pessoa dos adereços ou o armeiro, ponto final", destacou Clooney, em entrevista ao podcast "WTF", do comediante e ator Marc Maron.

Ele também criticou as terminologias usadas durante as gravações de "Rust" para o manejo de armas no set.

Nunca ouvi o termo arma fria. Literalmente, eles estão falando sobre coisas das quais nunca ouvi falar. É simplesmente irritante. Sempre que recebo um revólver [com uma câmara de seis cartuchos], aponta-se para o chão e dispara-se. Seis vezes. Sempre.

"Toda vez que recebo uma arma em um set, toda vez que eles me entregam uma arma, eu olho para ela, eu abro, mostro para a pessoa para a qual estou apontando, nós mostramos para a equipe", acrescentou o protagonista de filmes como "Onze Homens e um Segredo" (2001).

"Todo mundo faz isso, todo mundo sabe. Talvez o Alec até tenha feito, mas o problema é que as dummies [balas de festim] são manhosas. Elas se parecem como as balas verdadeiras, mas têm um pequeno buraco na parte de trás, por onde alguém tirou a pólvora", esclareceu ainda.

Na visão de Clooney, a produção do longa tem parte da responsabilidade pela tragédia ocorrida.

"Por que este filme de baixo orçamento, com produtores novatos, não contrataria para armeiro uma pessoa com experiência? Havia munição verdadeira misturada com falsa na mochila dela! Isto é uma loucura, é revoltante! Uma pessoa de 24 anos provavelmente não deveria, com tão pouca experiência, estar à frente de um departamento de armas", detonou, numa alusão à armeira responsável pelo filme, a jovem Hannah Gutiérrez-Reed.