PUBLICIDADE
Topo

Marilyn Manson torturava mulheres em uma caixa de vidro, diz vítima

Marilyn Manson é acusado de torturar mulheres em caixa de vidro para "meninas más" - Reprodução / Twitter
Marilyn Manson é acusado de torturar mulheres em caixa de vidro para "meninas más" Imagem: Reprodução / Twitter

Colaboração para Splash, em Alagoas

15/11/2021 11h52Atualizada em 15/11/2021 12h29

O cantor Marilyn Manson, de 52 anos, está sendo acusado pela ex-assistente Ashley Walters de trancar mulheres em uma pequena caixa de vidro à prova de som, que teria o tamanho de um provador de roupas, e seria apelidado de espaço para as "meninas más". O local, segundo ela, foi montado no apartamento do roqueiro, em West Hollywood, Califórnia (EUA).

Walters é uma das mais de 10 mulheres que foram à Justiça processar o famoso por assédio sexual e abuso. Ela expôs o espaço que seria usado pelo artista para trancafiar suas vítimas em entrevista à revista Rolling Stone.

A ex-assistente contou que, inicialmente, Marilyn Manson tentava fazer com que a caixa de vidro fosse compreendida como "algo legal" para, em seguida, fazer uso do espaço "como uma forma de punição" para as mulheres.

"Mesmo que eu gritasse, ninguém podia me ouvir. Você lutava e ele gostava dessa reação. Eu aprendi a não lutar, porque isso dava a ele o que ele queria. Então, eu acabava indo para algum outro lugar dentro da minha cabeça", disse Ashley.

Ryan Brown, outra ex-funcionária do músico, disse nunca ter presenciado ninguém preso no espaço, mas pontuou que o próprio famoso já havia falado abertamente sobre a caixa durante uma entrevista em 2012. Segundo Brown, o local era considerado por Marilyn Manson como um espaço dedicado às "meninas más".

As acusações feitas por Ashley Walters foram corroboradas por Sarah McNeilly, ex-namorada de Manson. Ela relatou que a experiência na caixa de vidro foi "absolutamente assustadora" e que o artista a teria trancado no espaço após ela falar sobre um ex-namorado. "Ali a máscara caiu e foi possível ver do que ele era capaz", contou.

A ex-namorada disse ainda que foi ameaçada fisicamente por Marilyn Manson em 2011, quando ele, após um surto, fez menção sobre "amassar" sua cara com um taco de beisebol. "A violência física era quase um alívio. A merda psicológica que ele me fazia passar, que infestava o meu cérebro, era o que eu queria que acabasse", desabafou.

Por fim, segundo a revista, o apartamento em que Marilyn Manson mora é decorado com "sangue, suásticas e imagens de revistas pornográficas", e o artista decorou o local todo de preto, a fim de "tapar a luz das janelas durante o dia". A reportagem ainda diz que ele ficava violento quando o termóstato do apartamento era ajustado para uma temperatura superior a 18 graus e "destruía os móveis".

Modelo disse ter sido abusada por Marilyn Manson

Em junho, a modelo Ashley Morgan Smithline impetrou processo contra Marilyn Manson por abuso sexual. À revista People, ela também disse ter sido vítima de abuso psicológico, emocional e físico durante o relacionamento com o roqueiro.

"Tem sido importante para mim, apresentar o que tenho feito porque vivo com medo constante até hoje. Estou buscando justiça porque quero seguir em frente e me curar do terrível abuso que enfrentei. Quero que Brian Warner [nome de registro do cantor] seja responsabilizado de uma vez por todas", declarou.

No processo, a defesa da modelo cita um dos episódios de abuso, em que o famoso teria pegado "uma faca ao lado da cama e começou a cortar o ombro, a parte interna do braço e o estômago da Sra. Smithline", e que ela ainda possui as cicatrizes.

Além deste, o caso cita estupro, cortes, chicotadas, fraturas e a marcação das iniciais do músico nas pernas da vítima. O famoso também teria ameaçado de morte a modelo caso ela o deixasse e, ainda, falou sobre a caixa para as "garotas más".

Em fevereiro deste ano, a atriz Evan Rachel Wood usou seu perfil nas redes sociais para denunciar abusos sofridos na época em que namorou com o cantor entre 2006 e 2010.

No Instagram, ela disse que o nome de seu "abusador é Brian Warner, também conhecido como Marilyn Manson". "Ele começou a me assediar quando eu ainda era uma adolescente e abusou terrivelmente de mim por anos", relatou ela, alegando ter sofrido "uma lavagem cerebral" e ter sido "manipulada à submissão".

A atriz Esmé Bianco também processa o músico por tê-la drogado e a ameaçado para manter relações sexuais com ele em "múltiplas ocasiões".

Desde o início dos processos, a defesa de Marilyn Manson tem negado as acusações e o cantor afirma que todas as suas relações foram consensuais, e que as denúncias são "distorções da realidade".

"Meus relacionamentos íntimos sempre foram totalmente consensuais com companheiras que pensam como eu. Independentemente de como e por que outras estão optando hoje por manipula o passado, está é a verdade", escreveu o cantor em uma publicação no Instagram.