PUBLICIDADE
Topo

Filho de Maurício de Sousa defende novo personagem gay na Turma da Mônica

Mauricio de Sousa ao lado do filho, Mauro Sousa - Reprodução / Instagram
Mauricio de Sousa ao lado do filho, Mauro Sousa Imagem: Reprodução / Instagram

Colaboração para Splash, em Alagoas

13/11/2021 11h21Atualizada em 13/11/2021 16h48

Mauro Sousa, filho do cartunista Maurício de Sousa, defendeu a inclusão de um personagem gay nas histórias de "A Turma da Mônica", célebre criação de seu pai.

Em entrevista à Veja, Mauro destacou que "a diversidade sempre esteve presente" nas criações da Maurício de Sousa Produções e que a ideia de introduzir um personagem LGBTQIA+ na "Turma" foi "uma ideia linda e um gesto de amor e carinho do meu pai".

Abertamente homossexual, ele admite que, sim, "falta um personagem gay" na "Turma da Mônica" e que, ao crescer, sentiu falta dessa representatividade nos programas que assistia, fato que contribuiu para tivesse "uma infância solitária, pois não conversava com ninguém sobre isso".

À revista, Mauro Sousa falou sobre a falsa percepção de que histórias infantis com personagens homoafetivos poderiam influenciar as crianças, pois, afirma "é simples: a sexualidade não é influenciável".

"Eu não virei gay. Eu nasci gay. Argumentos como esses não têm fundamento algum. Uma referência bem feita e bem pensada sobre sexualidade e suas ramificações teria feito com que eu fosse uma criança mais feliz e tranquila", declarou.

Por fim, Mauro rebateu os comentários preconceituosos feitos pelo jogador de vôlei Mauricio Souza, que criticou a versão bissexual do Superman, super-herói das histórias em quadrinhos da editora DC Comics. Para ele, "homofobia ão é opinião e preconceito não é liberdade de expressão, nem pode ser normalizado".

"Homofobia é crime e cabe, sim, aos órgãos competentes tomar alguma medida diante do homofóbico. E quem fez os comentários preconceituosos deve pagar pelos seus atos", completou.

No Brasil, a HQ da DC gerou polêmica após o jogador de vôlei Mauricio Souza fazer uma publicação com declarações homofóbicas ao criticar a revista e, posteriormente, ter sido rebatido pelo também atleta Douglas Souza, que é homossexual assumido. Após a postagem preconceituosa, Mauricio foi demitido do Minas Tênis Clube.