PUBLICIDADE
Topo

Artistas de HQ com Superman bissexual recebem proteção após ameaças

Superman (Jon Kent) assume ser bissexual em "Superman: Son of Kal-El #5" - DC/Reprodução
Superman (Jon Kent) assume ser bissexual em "Superman: Son of Kal-El #5" Imagem: DC/Reprodução

Colaboração para Splash, em Alagoas

02/11/2021 09h43

Os artistas responsáveis pela revista em quadrinhos "Superman: Son of Kal-El", que aborda a bissexualidade de Jon Kent, o novo Superman das HQs da DC Comics, passaram a receber proteção policial devido às ameaças feitas por preconceituosos.

De acordo com informações do TMZ, algumas viaturas do Departamento Policial de Los Angeles precisaram fazer rondas nas proximidades das residências de algumas pessoas envolvidas na HQ, após receberem ameaças feitas nas redes sociais e também diretamente aos profissionais. Ainda segundo o noticioso, as sedes da editora DC Comics e do estúdio Hi-Fi, responsável por colorir a revista, também estão sob vigilância.

Criada por Tom Taylor, arte de John Timms e coloração do estúdio Hi-Fi, "Superman: Son of Kal-El" será centrada em Jon Kent, filho de Clark Kent e Lois Lane. Na história, ele assumirá sua bissexualidade e viverá um romance com o ativista e hacker Jay Nakamura.

Em entrevista, Taylor explicou que ao ser convidado pela DC para escrever uma nova história para o Superman ele não queria que fosse sobre um "outro cara hétero e branco", pois, para ele, "seria uma oportunidade perdida".

"Sempre disse que todo mundo precisa de heróis e todo mundo merece ver a si mesmo em seus heróis. Hoje, o Superman, o herói mais forte do planeta, está se assumindo", declarou.

No Brasil, a HQ gerou polêmica após o jogador de vôlei Mauricio Souza fazer uma publicação com declarações homofóbicas ao criticar a revista e, posteriormente, ter sido rebatido pelo também atleta Douglas Souza, que é homossexual assumido. Após a postagem preconceituosa, Mauricio foi demitido do Minas Tênis Clube.

Entretanto, o sucesso feito por "Superman: Son of Kal-El" supera os ataques e a DC Comics precisou encomendar uma segunda tiragem da publicação, após a primeira ser completamente vendida ainda na fase pré-venda.