PUBLICIDADE
Topo

Ludmilla reflete sobre cirurgias plásticas: 'Fiz pra começar a ser aceita'

Ludmilla - Reprodução/Instagram
Ludmilla Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para Splash, no Rio de Janeiro

29/10/2021 08h29

Em participação no podcast "Mano a Mano", apresentado pelo rapper Mano Brown, Ludmilla explica os motivos para ter-se submetido às suas primeiras cirurgias plásticas. A cantora revela que tentou 'driblar' o racismo que sofreu no início da carreira com os procedimentos.

"Minha música estourou, eu tinha 17 anos, a 'Fala Mal de Mim'. Quando comecei a fazer cirurgia plástica, a primeira que eu fiz foi pra começar a ser aceita. No clipe não dá pra enxergar muito quem está cantando. Foi mais a voz, não a aparência. Muito contratante contrata, contrata, chegava no show e as pessoas viam quem era a MC Beyoncé. Falavam do meu nariz, da minha perna, do meu cabelo, e eu cantando e ouvindo aquilo", desabafa na entrevista.

Ludmilla também ressalta como o racismo sempre esteve presente na sociedade. "A gente aprendeu na escola que preto era feio, que cabelo crespo era horrível, que nariz largo é horrível, que beição grande era feio. Antigamente a gente não falava sobre racismo assim, abertamente, em todo lugar com as pessoas, aí, então, a gente ia vivendo e esse era o certo", lamenta.

Música

No bate-papo, Ludmilla também fala sobre seu amor pela música: "Com o tempo, eu fui aprendendo, pegando posse, reforçando e cuidando mais de mim, porque sabia que tinha mais gente se guiando pelos meus passos. Eu vivo e respiro música. Ninguém sabe disso, nunca falei isso em nenhuma entrevista. Mas o tempo todo eu estou escutando música, compondo, pesquisando, escutando a história de alguém para me inspirar. É o tempo inteiro. Eu sou muito musical, eu amo o que eu faço", enfatiza.