PUBLICIDADE
Topo

Petição de Brad Pitt em caso de custódia com Angelina Jolie é negada

Brad Pitt e Angelina Jolie se separaram em 2016 - Charley Gallay/Getty
Brad Pitt e Angelina Jolie se separaram em 2016 Imagem: Charley Gallay/Getty

De Splash, em São Paulo

28/10/2021 12h00

A Suprema Corte da Califórnia, nos Estados Unidos, negou o apelo de Brad Pitt em relação ao caso de custódia do ator com Angelina Jolie.

De acordo com a People, em setembro, os advogados de Pitt solicitaram ao tribunal superior que o caso fosse revisto depois que o juiz John Ouderkirk foi retirado do caso por não ter revelado que já trabalhou para os advogados responsáveis pela defesa do ator em outros assuntos — o que anulou uma decisão anterior que havia dado a ele mais tempo com os filhos.

Ainda segundo o site norte-americano, ontem, o tribunal manteve a decisão pelo afastamento do juiz afirmando: "Petição e suspensão negadas."

Agora, o acordo de custódia em relação aos filhos menores do ex- casal — Pax, 17, Zahara, 16, Shiloh, 15, e os gêmeos Vivienne e Knox, 13 — segue sendo o de novembro de 2018.

Um representante de Pitt disse à People que continuarão fazendo "tudo o que é legalmente necessário com base nas conclusões detalhadas dos especialistas independentes."

Já a equipe de Jolie afirmou que a atriz está satisfeita com a decisão e focada no bem-estar de sua família.

Brad Pitt e Angelina Jolie, que têm seis filhos e já foram o casal mais notório de Hollywood, terminaram o casamento em 2016 e estão em uma batalha judicial desde então.

Em 2018, o casal anunciou que havia chegado a um acordo sobre os filhos — três biológicos e três adotados. Os termos do acordo inicial não são conhecidos, mas a imprensa relata que Pitt estava buscando a custódia conjunta, enquanto Jolie a queria para si mesma.