PUBLICIDADE
Topo

Legista não identificou causa da morte de Brian Laundrie, diz advogado

A influenciadora Gabby Petito e o noivo Brian Laundrie - Reprodução/Instagram
A influenciadora Gabby Petito e o noivo Brian Laundrie Imagem: Reprodução/Instagram

De Splash, em São Paulo

22/10/2021 21h11

Steven Bertolino, advogado da família de Brian Laundrie, afirmou que não foi possível identificar a causa da morte do noivo de Gabby Petito. Os restos mortais foram identificados ontem na Carlton Reserve, no estado da Flórida (EUA).

O advogado disse em entrevista à TMZ que a autópsia de Brian Laundrie foi concluída pelo legista sem respostas. Os ossos serão enviados a um antropólogo para uma segunda avaliação.

Segundo o advogado, os antropólogos são acionados em casos de decomposição avançada. A intenção é conseguir identificar a razão da morte utilizando técnicas diferentes das aplicadas durante a autópsia.

Brian é o principal suspeito de ter assassinado a influenciadora Gabby Petito, de 22 anos. O corpo da jovem foi encontrado no dia 19 de setembro e o ex-companheiro estava foragido desde então.

Relembre o caso

Gabby Petito sumiu após iniciar uma viagem com o noivo, Brian Laundrie, que planejava passar por parques nacionais. A travessia começou em junho, quando deixaram a Flórida. A influenciadora digital morou com o noivo por um ano antes de iniciarem o trajeto pelos EUA. Eles chegaram a Utah durante o mês de julho.

Duas semanas antes do desaparecimento de Petito, em 12 de agosto, a polícia da cidade de Moab, em Utah, foi chamada para um possível incidente de violência doméstica envolvendo ela e o noivo, Brian Laundrie.

Imagens da câmera corporal de um agente foram divulgadas, mostrando Petito chorando e reclamando da saúde mental para os agentes. Segundo ela, o casal vinha discutindo com mais frequência.

A corte federal de Wyoming emitiu um mandado de prisão contra ele no final de setembro.

O jornal Daily Mail informou que, segundo os investigadores, Laundrie era procurado por "uso de dispositivo de acesso não autorizado". Ele teria utilizado um cartão de crédito de Gabby entre 30 de agosto e 1º de setembro, período em que ela já estava desaparecida.