PUBLICIDADE
Topo

Splash Explica

Tá em dúvida? Chega mais que a gente te explica!


Quem é o autor de livros sobre Marielle e Bolsonaro que foi morto no Rio

O escritor Leuvis Manuel Olivero foi morto no dia 10 em circunstâncias parecidas às da morte de Marielle - Reprodução/TV Globo
O escritor Leuvis Manuel Olivero foi morto no dia 10 em circunstâncias parecidas às da morte de Marielle Imagem: Reprodução/TV Globo

De Splash, em São Paulo

20/10/2021 18h37

No dia 10 de outubro, o escritor dominicano Leuvis Manuel de Olivero morreu após ser baleado saindo de um restaurante na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Em contato com o UOL, a Polícia Civil afirmou que as investigações correm em sigilo na Delegacia de Homicídios da Capital (DHC).

Leuvis é autor de "Memória Viva", em que fala sobre a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), morta no Rio de Janeiro em 2018 em circunstâncias parecidas às da morte do escritor: segundo testemunhas, os disparos foram efetuados de dentro de veículos em movimento.

Nascido na República Dominicana, Leuvis emigrou para os Estados Unidos e viveu em Massachusetts até 2011, quando veio ao Brasil estudar a arte urbana e o vandalismo. Esse é o tema de seu primeiro livro, "Cidade Grafitada: A História da Arte e do Vandalismo no Rio de Janeiro", publicado em 2014.

Livro de Leuvis OIivero sobre Jair Bolsonaro - Reprodução - Reprodução
Capa do livro de Leuvis OIivero sobre Jair Bolsonaro
Imagem: Reprodução

Seus outros livros abordam assuntos como paternidade, capoeira e a experiência de ser estrangeiro no Rio de Janeiro. No ano passado, o escritor publicou uma obra sobre a cultura do grafitti e da pichação durante o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido): "Enquanto o Ódio Governava, a Rua Falava".

Desde a morte de Leuvis Olivero, amigos e familiares se mobilizam para levar seu corpo de volta aos Estados Unidos. A campanha de arrecadação que abriram para arcar com os custos do transporte já recebeu mais de R$ 100 mil (US$ 18 mil) em doações.

Na página da campanha, ele é descrito com carinho pelos familiares: "Lu era cheio de sabedoria e apaixonado pela vida. Qualquer um que tivesse a sorte de conversar com ele sobre qualquer tópico voltaria com algum conhecimento novo, quer concordasse ou não".