PUBLICIDADE
Topo

O que rolou de melhor e pior na TV brasileira em dois anos de pandemia?

Colaboração para o Splash, em São Paulo

19/10/2021 16h32

Ao longo de 2020 e 2021, muita coisa mudou no Brasil e no mundo e na televisão não foi diferente. O jornalismo ganhou mais relevância para trazer informação confiável e com contexto, a dramaturgia migrou para os streamings, formatos diferentes de realitys shows como o BBB fizeram um enorme sucesso dentro e fora da telinha e muito mais.

No episódio de comemoração do aniversário de dois anos do podcast Splash TV desta terça-feira (19), Débora Miranda, Chico Barney, Aline Ramos e Cristina Padiglione receberam Mauricio Stycer e Flávio Ricco para relembrar o que a TV nos entregou de melhor e de pior nesses últimos dois anos.

Jornalismo

Melhores:

  • Jornal Nacional x Bolsonaro
  • Chegada da CNN no Brasil
  • Maju no Fantástico

Para Aline Ramos, colunista do Splash, a ida de Maju Coutinho para o Fantástico representa um novo momento para a estrutura da televisão brasileira.

Isso tem um valor muito grande tanto na estrutura da Globo como no jornalismo como um todo se a gente pensar em referências e diversidade, que ainda é algo muito difícil. Ela [Maju] faz parte deste momento marcante.

Piores:

  • Record e SBT chapa branca
  • Negacionistas na CNN Brasil
  • Rede TV dando espaço pro Sikêra Jr

Flávio Ricco, colunista do R7 e convidado especial do Splash TV Vê desta terça-feira (19), considera que o apresentador Sikêra Junior ter ganhado espaço na televisão aberta foi um dos piores acontecimentos do período.

Sikêra Junior faz um programa hoje que já era condenado vinte anos atrás, preconceituoso e de baixarias. Ele trata com agressividade quem não pensa como ele. De tudo que existiu de ruim nesse período, ele ocupa o primeiro lugar.

sikera - Reprodução - Reprodução
Sikera Jr, apresentador do Alerta Nacional
Imagem: Reprodução

Variedades

Melhores:

  • Superdança dos Famosos
  • Volta do Show do Milhão
  • Caldeirão com Mion
  • Transmissões esportivas em vários canais (Band, SBT e Record, além da Globo)

Para Chico Barney, colunista do Splash, em meio à falta de atrações inéditas na televisão, a maior novidade foi a saída de Marcos Mion da Record TV para substituir Luciano Huck na emissora concorrente.

O Caldeirão com Mion deu uma nova energia para esse tipo de programa de auditório e brincadeiras. Estávamos em um momento onde não sabíamos se esse tipo de programa continuaria a existir. Essa nova fase tem sido interessante.

Piores:

  • ZigZag Arena
  • Fim abrupto do Domingão do Faustão
  • Se Joga
  • Repercussão baixa do Masterchef
  • Domingão com Huck
  • Overdose de The Voice
  • Globo sem novos programas de humor
  • SBT em marcha lenta

A saída de Fausto Silva do comando do Domingão depois de 30 anos sem ao menos uma despedida do público ainda dói e foi uma das grandes falhas da Globo, segundo Ricco.

Tirar o Fausto daquele jeito do ar foi bem deselegante. Ele poderia pelo menos ter se despedido depois de ter prestado serviço para a emissora por 30 anos. Esse foi o pior, pelo comportamento da Globo.

Dramaturgia

Melhores:

  • Primeira fase de Amor de Mãe
  • Dom (Prime Video)
  • Sintonia (Netflix)
  • Bom dia Veronica
  • Sob Pressão
  • Documentários
  • Novelas da Thalia no Globoplay

Cristina Padiglione, colunista da Folha/Agora, reforça a importância de séries de qualidade no universo online.

Essas produções de streaming têm muita potência. A Netflix vem fazendo séries no Brasil que fogem do padrão Globo, como a Sintonia, e isso é muito relevante.

Piores:

  • Tempos do Imperador
  • Segunda fase de Amor de Mãe
  • Gênesis
a - Divulgação - Divulgação
A novela Amor de Mãe, transmitida pela TV Globo, ganha indicação ao Emmy Internacional de Melhor Novela
Imagem: Divulgação

A primeira fase de Amor de Mãe, antes da pandemia da covid-19, emocionou milhões de brasileiros com seu elenco formado por grandes nomes como Chay Suede, Regina Casé, Adriana Esteves e Taís Araújo. Mas a segunda fase, já em 2021, foi uma decepção para muitos que esperavam pelos desfechos da trama. Segundo Ricco, principalmente, por conta da pandemia.

Amor de Mãe foi uma produção prejudicada pela pandemia e que teve que acabar de qualquer jeito.

Reality shows

Melhores:

  • Realities na pandemia, BBB e A Fazenda
  • Ilha Record
  • Casamento às cegas

Em 2020, o BBB passou por uma virada em seu formato com a entrada de participantes famosos e, principalmente, influenciadores. De acordo com Chico Barney, a mudança refletiu em outros reality shows.

A mudança mais positiva foi a ida de famosos para o BBB, que deu uma revigorada e ajudou outros programas com o mesmo formato, como A Fazenda.

Piores:

  • A Fazenda como centro de reabilitação
  • Saída do Mion da Fazenda
  • Saída do Tiago Leifert do BBB
  • A volta do No Limite

Mauricio Stycer, colunista do UOL, ressalta que as duas edições do BBB, em 2020 e 2021, foram um sucesso.

As duas edições com famosos foram muito bem-sucedidas, embora eu discorde e ache que o programa deveria voltar a ter um formato apenas com anônimos.