PUBLICIDADE
Topo

Polícia chama James Bond de 'praga sexual' em campanha contra assédio

Sean Connery como James Bond em "007 contra Goldfinger" - Divulgação
Sean Connery como James Bond em '007 contra Goldfinger' Imagem: Divulgação

De Splash, em São Paulo

16/10/2021 09h38Atualizada em 16/10/2021 10h47

Uma campanha promovida pela polícia da Escócia visando diminuir ataques às mulheres — como o assédio, estupro e agressão — chamou James Bond de "praga sexual".

No site da campanha, o comportamento do icônico personagem nos filmes é criticado e encabeça a lista dos principais homens com atitudes reprovadas na ação chamada "Don't Be That Guy" ("Não seja aquele cara", na tradução livre).

O site da campanha cita especificamente o 007 vivido por Sean Connery na década de 1960: "O espião fictício é notório por seu interesse por mulheres e tem um problema real quando se trata de entender o consentimento."

Em filmes mais antigos como 'Thunderball' e 'Goldfinger', 007 é basicamente uma praga sexual e comete agressão sexual em várias ocasiões, usando de contenção e forçando personagens femininos.

A lista também cita personagens como Sick Boy, de "Trainspotting", Tony Soprano, de "Os Sopranos", Moe, dos "Simpsons" e "a maioria dos homens" de "Game of Thrones".

Recentemente, Cary Fukunaga, diretor de "007 - Sem Tempo para Morrer", também afirmou que o icônico James Bond de Connery "basicamente" cometeu um estupro.