PUBLICIDADE
Topo

Pamella chora e rebate defesa de DJ Ivis: 'Informações falsas e mentirosas'

De Splash, em São Paulo

28/09/2021 22h44

Pamella Holanda voltou a se manifestar nas redes sociais após o comunicado publicado hoje pela defesa do cantor DJ Ivis. Ela afirma que as informações divulgadas sobre o dinheiro depositado para a filha são falsas.

Eu vim prestar meu mais completo e profundo repúdio à defesa do meu ex-marido, que está veiculando informações falsas e mentirosas de valores que nunca existiram. Estão falando de um processo que corre em segredo de justiça. Tem um menor no meio, a nossa filha. Mas é como se ela não existisse, porque ele nunca procurou saber da filha e nem ninguém da família.
Pamella Holanda

A ex-mulher do artista chorou ao pedir para que ele preserve a filha de nove meses durante a sequência do processo. "Parece que está tentando limpar a própria imagem, mas não será dessa forma", destacou.

Ela diz que não quis fazer críticas ao artista na declaração de ontem, em que cobrou a Justiça por uma decisão sobre a medida protetiva e os pagamentos provisórios (que não envolvem a pensão alimentícia).

Eu estou bem, não estou precisando de dinheiro. Realmente foi ofertado o apartamento em que nós vivíamos, mas ele está locado para uma pessoa. Não seria simplesmente ela sair do local para eu entrar. E eu não gostaria de estar lá pelo ambiente, foi um lugar em que eu sofri muito no apartamento. Não conseguiria viver em paz.
Pamella Holanda

Na sequência do vídeo, Pamella voltou a criticar as declarações sobre o processo que permanece em segredo de Justiça. "Parem de pintar o bom samaritano. Ele não está fazendo as coisas de livre e espontânea vontade. Vocês que estão instruindo ele a fazer".

Em nota enviada ao UOL, a defesa de Pamella reforçou que os assuntos abordados pelos advogados de Ivis são "questões que correm em processos protegidos pelo segredo de Justiça."

Esclarecemos que a defesa do DJ Ivis está tentando confundir a opinião pública com fatos e valores que não condizem com a verdade dos fatos. Tais valores NÃO SÃO referentes à pensão alimentícia e sim um somatório da aplicação do art. 24 da Lei Maria da Penha e outros depósitos que não cabe tratar de forma pública, por serem assuntos processuais que correm em segredo de justiça. diz a nota

Os advogados Priscila Virino Silveira e Leonardo Barreto Guimarães Lima também lembraram que respeitam o sigilo dos processos, preservando ambas as partes envolvidas, "principalmente numa situação destas em que há uma vítima de violência doméstica e uma criança."

Relembre o caso

1 - Reprodução / Instagram - Reprodução / Instagram
Vídeo mostra DJ Ivis agredindo mulher
Imagem: Reprodução / Instagram

Pamella Gomes de Holanda, ex-companheira de Iverson, o DJ Ivis, compartilhou nas suas redes sociais uma série de vídeos que mostram o artista a atacando com tapas, socos e chutes. Também via Instagram, ele confessou as agressões, mas disse que era vítima de uma chantagem.

Os trechos divulgados por Pamella foram feitos, segundo ela, na residência do casal, em datas diferentes. O UOL assistiu aos vídeos, mas por conta do teor violento não iremos compartilhá-los. Em certo momento, Ivis agride a mulher com ela próxima ou até mesmo segurando a filha Mel, de nove meses.

Em decorrência da divulgação das agressões, Ivis perdeu contratos, foi preso e indiciado por lesão corporal, ameaça e injúria no âmbito da violência doméstica.

Em caso de violência, denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 180 e denuncie.

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — a Central de Atendimento à Mulher, que funciona em todo o país e no exterior, 24 horas por dia. A ligação é gratuita. O serviço recebe denúncias, dá orientação de especialistas e faz encaminhamento para serviços de proteção e auxílio psicológico. O contato também pode ser feito pelo WhatsApp no número (61) 99656-5008.

A denúncia também pode ser feita pelo Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Há ainda o aplicativo Direitos Humanos Brasil e a página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Vítimas de violência doméstica podem fazer a denúncia em até seis meses.

Caso esteja se sentindo em risco, a vítima pode solicitar uma medida protetiva de urgência.