PUBLICIDADE
Topo

Splash Explica

Tá em dúvida? Chega mais que a gente te explica!


Entenda por que Sérgio Reis é alvo de operação da Polícia Federal

A polícia vai apurar se ele cometeu o crime de incitar atos violentos contra a Democracia - Antonio Cruz/Agência Brasil
A polícia vai apurar se ele cometeu o crime de incitar atos violentos contra a Democracia Imagem: Antonio Cruz/Agência Brasil

De Splash, em São Paulo

20/08/2021 10h02Atualizada em 22/08/2021 14h59

A PF (Polícia Federal) cumpre hoje mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao cantor Sérgio Reis. Não está entendendo nada? A gente explica!

Os mandados foram expedidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal). O objetivo, segundo a PF, é apurar se o cantor cometeu o crime de incitar a população a praticar "atos violentos e ameaçadores contra a Democracia, o Estado de Direito e suas Instituições, bem como contra os membros dos Poderes".

Qual seria a ameaça?

No sábado (14), circularam nas redes sociais um áudio e um vídeo em que Sérgio Reis convoca uma greve nacional de caminhoneiros para protestar contra os 11 ministros do STF:

Nada vai ser igual, nunca foi igual ao que vai acontecer em 7, 8, 9 e 10 de setembro, e se eles não obedecerem nosso pedido, eles vão ver como a cobra vai fumar, e 'ai' do caminhoneiro que furar esse bloqueio. Sérgio Reis, em vídeo

A Chico Alves, colunista do UOL, o presidente do CNTRC (Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Carga), Plinio Dias, disse "desconhecer as pessoas que estão ao lado dele".

Depois, Sergio Reis completou: "Se em 30 dias eles não tirarem aqueles caras [do STF], nós vamos invadir, quebrar tudo e tirar os caras na marra". No mesmo dia, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou que apresentaria ao Senado um pedido de impeachment dos ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso.

Inquérito da polícia

Quando as falas de Sérgio Reis viralizaram, a Polícia Civil do Distrito Federal instaurou um inquérito para apurar suposta associação para cometer pelo menos três crimes nas manifestações previstas para setembro: ameaça (artigo 147 do Código Penal), dano (artigo 163 do CP) e "expor a perigo outro meio de transporte público" (artigo 262 do CP).

A reação de Sérgio Reis

No domingo (15), durante entrevista ao influenciador bolsonarista Oswaldo Eustáquio, Sérgio Reis chorou e disse que nunca quis agredir ninguém, e nem deseja fazê-lo agora. No entanto, o cantor voltou a elogiar Bolsonaro e convocar pessoas para a manifestação, marcada para 7 de setembro.

Já na segunda (16), Ângela Bavini, esposa do cantor, disse à coluna de Mônica Bergamo na Folha de S. Paulo que o cantor de 81 anos está deprimido, passando mal e com uma crise de diabetes após a repercussão de suas palavras: "O Sérgio foi induzido por pessoas que dizem estar em um movimento tranquilo. No fim, todo mundo vaza [desaparece], e sobra para ele, que é uma celebridade".

Em entrevista ao jornal O Globo, Sérgio Reis disse que se arrepende de ter gravado o vídeo, e que apoia "uma passeata serena, sem briga" — mas reforçou que é a favor do impeachment dos ministros do STF. Ele também disse não ter medo de ser preso:

Não sou frouxo. Não sou mulher. Cadeia é para homem. Eu não saí daqui de casa. Estou aqui em casa quietinho. Se a federal vier me buscar, eu vou.

Siga o UOL no