PUBLICIDADE
Topo

Sérgio Reis diz que se arrepende de vídeo com ataque ao STF

04.jul.2018 - O cantor Sérgio Reis, então deputado federal pelo PRB-SP - Cleia Viana/Câmara dos Deputados
04.jul.2018 - O cantor Sérgio Reis, então deputado federal pelo PRB-SP Imagem: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

De Splash, em São Paulo

19/08/2021 09h51

Ciente da repercussão negativa de suas últimas declarações ao convocar uma greve nacional de caminhoneiros contra os 11 ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), Sergio Reis se disse arrependido.

Em entrevista ao O Globo, porém, o cantor também voltou a defender a realização de manifestações contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

Eu me arrependo, sim. Eu estava conversando com um amigo. Era tudo brincadeira. Ele postou no grupinho dele e aquilo foi para fora. E isso me prejudicou muito. Não era a minha intenção. Não temos que quebrar nada. Tem que fazer uma passeata serena, sem briga. Sem nada. Eu me arrependo demais de ter falado com um amigo. Amigo da onça, sabe como é. justificou

Apesar da justificativa, Reis disse que o presidente "é muito bem orientado" e falou da paralisação.

O Bolsonaro é muito bem orientado para a parte jurídica. Ele procura fazer as coisas muito certinhas sobre como é a lei. E a lei é o seguinte: se o povo for em massa, aí dá condições de ele (Bolsonaro) fazer alguma coisa. Ele não quer fazer nada. Ele não quer invadir nada. Ele não quer esse peso sobre ele. Mas, no dia 7 de setembro, vai ter essa mobilização. Uma movimentação muito grande na (avenida) Paulista. Uma movimentação muito grande em Brasília. Brasília vai fechar. Mas não sou eu que decido. Essas coisas que os ministros estão fazendo prejudicam muita gente. Soltar bandido? Isso não pode. Ou a lei é cumprida ou não é. Eu não sou juiz. Eu sou um cara do povo. Como povo, eu acho que tinha que ter o impeachment. considerou

Por fim, falando sobre a prisão do ex-deputado federal Roberto Jefferson, o cantor disse não ter medo de ser preso pela sua fala.

Não. Eu não tenho medo de ser preso. Não sou frouxo. Não sou mulher. Cadeia é para homem. Eu não saí daqui de casa. Estou aqui em casa quietinho. Se a federal vier me buscar, eu vou. Não matei ninguém. Não prejudiquei ninguém. Nunca falei mal de nenhum ministro. afirmou

Entenda o caso

Um áudio e um vídeo que circularam nas redes sociais no último fim de semana levaram o cantor Sérgio Reis a integrar também o noticiário político. Nas gravações, o ex-deputado apareceu convocando uma greve nacional de caminhoneiros contra os 11 ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) — alvo constante do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), de quem Reis é aliado.

A promessa de paralisação dos caminhoneiros ganhou força nas redes sociais no domingo (15). Pelas mensagens postadas, os profissionais deverão cruzar os braços em 7 de Setembro, Dia da Independência, em um movimento que engrossaria outras manifestações públicas já programadas a favor do governo.

Lideranças dos caminhoneiros, no entanto, dizem que o cantor não os representa. Já o Ministério da Infraestrutura, nos bastidores, não leva a mobilização a sério.