PUBLICIDADE
Topo

Marília Mendonça sobre DJ Ivis: 'Justificar foi ainda mais pesado'

Marília Mendonça - Divulgação
Marília Mendonça Imagem: Divulgação

De Splash, em São Paulo

14/07/2021 20h26Atualizada em 14/07/2021 20h46

Após o caso da agressão de DJ Ivis a Pamella Holanda, Marilia Mendonça e a dupla Maiara e Maraisa decidiram adiantar o lançamento da música "Você Não Manda em Mim", parceria das três sobre violência contra a mulher que seria anunciada apenas na live das Patroas, no próximo dia 24. Uma versão das três cantando ao vivo foi publicada hoje por Marilia em seu Instagram.

Em entrevista para Splash, Marilia comentou que as três estavam juntas no domingo (11), quando Pamella publicou os vídeos com as agressões que sofreu do companheiro e ficaram chocadas com o caso —Maiara disse que nem conseguiu assistir aos vídeos.

No dia que aconteceu [a publicação dos vídeos das agressões], eu recebi uma ligação do meu namorado, Murilo [Huff]. Ele simplesmente falou: 'Amor, estou sem conseguir respirar, eu deito e não dá para ficar na cama, me deu um desespero'. Foi algo que chocou o Brasil inteiro e é para chocar mesmo [...] Ainda mais ouvir uma pessoa tentando justificar, isso foi mais pesado ainda. Marilia Mendonça

A cantora contou ainda que a música, apesar de ter sido composta por homens, incluindo seu irmão, João Gustavo, as emocionou de primeira por causa de versos como "você não manda em mim/eu sei aonde eu devo ir/eu sei o que eu posso vestir/se tudo que eu faço te incomoda, você sabe o caminho da porta".

Marilia acredita que essa nova faixa pode ser até servir para evitar mais casos de violência doméstica e que, por isso, decidiram "furar" a divulgação na live em conjunto.

Se tivéssemos feito bem antes [o lançamento] poderíamos até ter impedido outras violências. [...] Muitas pessoas escutam, sei que influenciei muitas mulheres. Não dava mais para esperar para simplesmente fazer um projeto comercial enquanto poderíamos impedir que isso acontecesse em outros lares.

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — a Central de Atendimento à Mulher, que funciona em todo o país e no exterior, 24 horas por dia. A ligação é gratuita. O serviço recebe denúncias, dá orientação de especialistas e faz encaminhamento para serviços de proteção e auxílio psicológico. O contato também pode ser feito pelo WhatsApp no número (61) 99656-5008.

A denúncia também pode ser ser feita pelo Disque 100, que apura violações aos direitos humanos. Há ainda o aplicativo Direitos Humanos Brasil e a página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Vítimas de violência doméstica podem fazer a denúncia em até seis meses.

Caso esteja se sentindo em risco, a vítima pode solicitar uma medida protetiva de urgência.