PUBLICIDADE
Topo

Gloria Groove compara momento da carreira com início no Balão Mágico

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/07/2021 11h30Atualizada em 07/07/2021 13h55

Gloria Groove é a convidada de Tiago Abravanel no 'Sai da Caixa' nesta semana. A drag queen, cantora e compositora relembrou o início na carreira, a influência da mãe na sua trajetória artística e soltou a voz, claro.

Toda quarta-feira, às 11h, Abravanel recebe convidados especiais para cantar músicas fora de seus repertórios tradicionais e para colocar a conversa em dia, no Canal UOL. Assim como Negra Li, Gloria também escolheu clássico de Elis Regina para sair da caixa.

gl - Reinaldo Canato/UOL - Reinaldo Canato/UOL
Tiago Abravanel recebe Gloria Groove no 'Sai da Caixa'
Imagem: Reinaldo Canato/UOL

O mundo fica bem mais divertido...

Aos 26 anos, Gloria Groove tem um currículo extenso para se orgulhar. Isso porque o trabalho já começou como Daniel - quando participou do grupo Galera do Balão, outra formação da Turma do Balão Mágico. Quem se lembra?

Eu só tinha 7 anos, estava na segunda série e passei em um concurso superimportante, que celebrava um projeto muito massa do passado. Gloria Groove

Na conversa com Abravanel, Gloria revelou que foi correndo até a mãe conhecer sobre o grupo, para entender o remake que participaria e adorou: "Ela tinha o disco em casa e foi muito louco", lembrou contando que no projeto, eles fizeram algumas regravações do Balão Mágico, mas também tiveram músicas inéditas.

Quando eu paro para pensar no Balão Mágico e no que eu estava fazendo ali, eu estou fazendo a mesma coisa agora. Eu estava em cima de um palco, com figurino, cantando e dançando. Gloria Groove

f - Reinaldo Canato/UOL - Reinaldo Canato/UOL
Gloria Groove se apresenta no programa 'Sai da Caixa', com Tiago Abravanel
Imagem: Reinaldo Canato/UOL

Primeira vez

Apesar de ter começado cedo no Balão Mágico, ela contou que foi antes disso que soltou a voz pela primeira vez: "Com 4 anos eu cantei pela primeira vez de um jeito que minha mãe pensou 'sabe cantar' e era 'Heroes' da Mariah Carey", lembrou.

Ela definiu como "indescritível", o privilégio de ser filha de uma cantora e de ter criado suas primeiras memórias ali, vendo a mãe nos palcos. Inclusive, mesmo sem saber falar em inglês, a sua 'primeira vez' aconteceu após observar a mãe ouvindo a música da Mariah repetidas vezes, ensaiando para um show.

Eu já via que aquilo que ela apresentava no palco era diferente do que ela era em casa. Ela estava mais alta, o olho estava maior, ela não tinha problemas no palco, ela era uma deusa. Gloria Groove

gl - Reinaldo Canato/UOL - Reinaldo Canato/UOL
Gloria Groove participa do programa 'Sai da Caixa', com Tiago Abravanel
Imagem: Reinaldo Canato/UOL

Mais referências

Que a mãe é sua referência número um, não precisamos nem contar. Mas além dela, Beyoncé também engrossa a lista. E as referências masculinas? Tiago Abravanel quis saber.

"O Usher foi um dos primeiros cantores que eu gostei, comprei DVD", iniciou a lista que foi seguida por ninguém mais, ninguém menos que o rei do pop: "Vou ser clichezona e falar o Michael Jackson também", disse.

Da nova geração, Gloria citou Lil Nas X: "Um dos rappers assumidamente gay e que está fazendo o maior sucesso mundial, só músicas iradas".

Assumo que as referências femininas sempre predominam um pouco mais. Gloria Groove

GLO - Reinaldo Canato/UOL - Reinaldo Canato/UOL
Gloria Groove se apresenta no programa 'Sai da Caixa', com Tiago Abravanel
Imagem: Reinaldo Canato/UOL

"Sai da Caixa" toda quarta-feira, às 11h:

Você pode assistir a toda a programação do Canal UOL aqui.