PUBLICIDADE
Topo

Ellie Kemper rainha do baile da Ku Klux Klan? Não é bem assim

Kimmy (Ellie Kemper) vai para a faculdade na terceira temporada de "Unbreakable Kimmy Schimmdt", já disponível na Netflix
Kimmy (Ellie Kemper) vai para a faculdade na terceira temporada de "Unbreakable Kimmy Schimmdt", já disponível na Netflix
Divulgação/Netflix

Laysa Zanetti

Colaboração para Splash, em São Paulo

01/06/2021 16h23

Ellie Kemper, de "Unbreakable Kimmy Schimdt", deu o que falar na segunda (31), mas não por ter sido escalada para alguma nova série ou algo do tipo. Após fotos antigas da comeditante virem à tona, a atriz começou a ser chamada de "princesa da KKK", em referência ao grupo supremacista branco dos EUA.

Mas que história é essa?! Splash explica.

Continua depois da publicidade

As imagens mostram que, aos 19 anos, Ellie foi eleita "rainha do amor e da beleza" em uma celebração do Missouri, a Feira Saint Louis —antes conhecida como Baile do Profeta Velado.

E a história de como a celebração surgiu e o que representa foi o que gerou discussões nas redes sociais.

Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

A Organização do Profeta Velado foi fundada em 1878 por Charles Slayback, magnata aliado aos Confederados escravistas. Sua ideia, à época, era criar um grupo de elite que mesclaria "a elegância de um Mardi Grass em Nova Orleans com o simbolismo do poeta irlandês Thomas Moore".

O motivo por trás da organização era econômico, segundo o The Atlantic. A cidade de Saint Louis competia com Chicago pelo domínio dos setores de transporte ferroviário e manufatura. Por isso, era importante lembrar aos empresários locais do status cultural do Missouri através do simbolismo.

Continua depois da publicidade

Por isso, foi criado um personagem chamado Profeta Velado de Khorassan. Todo ano, algum homem assumia essa identidade, secretamente, e escolhia a sua Rainha do Amor e da Beleza. Juntos, os dois eram os responsáveis por passar a tradição adiante e representar a elite econômica de Saint Louis.

Mas por que KKK?

No início das festividades, em 1878, as vestes do Profeta Velado de Khorassan eram muito semelhantes aos robes e capuzes brancos utilizados pela KKK. No entanto, a Klan só adotou esse tipo de roupa após 1915, inspirada pelo filme "O Nascimento de uma Nação", de D.W. Griffith.

Em sua origem, porém, a Organização do Profeta Velado tem muitos traços de racismo, elitismo e movimentos anti-greve. Até 1979, negros e judeus não podiam ser membros da associação. A regra só foi modificada após uma série de protestos e reivindicações de ativistas e sindicatos.

Com o passar do tempo, a tentativa de desassociar a festa das suas origens obscuras levou à mudança do nome. Em 1992, o título Baile do Profeta Velado foi aposentado e, em seu lugar, passou o ser usado o nome Feira Saint Louis.

Kemper recebeu o título de Rainha do Amor e da Beleza sete anos depois.

Continua depois da publicidade

Segundo um recorte do jornal local St. Louis Post Dispatch, a atriz de "The Office" e "Unbreakable Kimmy Schmidt", foi a 105ª mulher a receber o título. À época, ela estava no seu primeiro ano na Universidade de Princeton. Sua família, vale destacar, tem fortes laços com a economia do estado.

Eric Liebowitz/Netflix/Eric Liebowitz/Netflix - Eric Liebowitz/Netflix/Eric Liebowitz/Netflix
Imagem: Eric Liebowitz/Netflix/Eric Liebowitz/Netflix

Alçada ao sucesso com "The Office", Ellie ganhou destaque com "Unbreakable Kimmy Schmidt", da Netflix. Na comédia, ela interpreta uma jovem que redescobre o mundo após passar anos presa junto a outras mulheres num porão pelo líder de uma seita religiosa.

A série, completa na Netflix, ganhou relevância porque traz a protagonista descobrindo o mundo através de um olhar muito puro, doce e inocente, por ter ficado por anos longe da sociedade e sem contato com as evoluções sociais e tecnológicas.

A atriz ainda não se pronunciou sobre o caso.