PUBLICIDADE
Topo

Demi Lovato fala sobre sua jornada não-binária: 'Apenas comecei a me ouvir'

Demi Lovato dá detalhes sobre sua jornada não-binária - Instagram
Demi Lovato dá detalhes sobre sua jornada não-binária Imagem: Instagram

Colaboração para Splash, em São Paulo

28/05/2021 21h34Atualizada em 28/05/2021 21h34

A cantora Demi Lovato participou da transmissão ao vivo do Fire Drill Fridays com a atriz Jane Fonda e se abriu sua jornada como pessoa não-binária.

Durante a conversa, a ex-Disney falou um pouco sobre o ativismo na sua vida e como sua vida mudou em 2020. "Há muito mais na vida do que minha história e eu tenho contado a minha por tanto tempo que simplesmente se tornou repetitiva. Foi autêntica, mas percebi que não estou fazendo o suficiente porque estou apenas contando minha história e é hora de compartilhar a de outras pessoas. Foi aí que minha vida se transformou, é menos sobre mim e mais sobre ser útil", afirmou.

Ao ser questionada sobre ser uma pessoa não-binária, Lovato contou sua experiência. "Se eu tivesse ouvido o patriarcado, minha vida nunca teria mudado. Meu gênero e meus pronomes nunca teriam mudado. Eu provavelmente teria sido casada com um homem e com filhos fazendo o que fui criada para acreditar que eu deveria fazer. Por ter crescido em Dallas, Texas, no sul e ser cristão havia muitas normas que já foram impostas a mim quando se tratava de sexualidade e gênero. Sou uma pessoa muito fluida. Eu sou uma pessoa aberta e de espírito muito livre, então quando se trata de gênero para mim, eu comecei a perceber que eles já estavam lá quando eu olhava para trás em minha vida. Houve momentos em que me senti mais masculina e houve momentos em que me senti mais feminina", disse.

"Sempre fui atraída por todos. Eu me sinto atraída por todos desde que me lembro. Portanto, houve momentos na minha vida que foram muito confusos para mim, tendo 10 anos, atraída por mulheres e sem saber o que isso significava como cristã. Eu percebi que depois de anos vivendo minha vida por outras pessoas, tentando me tornar menor para o patriarcado porque eles comandam a indústria. Quando eu percebi isso, pensei: 'Como o patriarcado tem me impedido?' E para mim, foi me colocar em uma caixa me dizendo 'Você é mulher, isso é o que você deve ser. Isso é o que você deve fazer. Não sonhe mais alto e não fale mais alto' Isso não me agradou porque sou muito franco para isso", continuou.

Demi também contou como se descobriu. "Então quando tive uma experiência de quase morte em 2018, após uma overdose de drogas, percebi que tinha que acordar e começar a viver minha vida por mim. Não importa o que. Não importa o que o homem vai pensar. Eu deveria, não importa quais escolhas os homens vão pensar sobre que eu deveria fazer por mim mesma. Eu apenas comecei a me ouvir e acabei descobrindo que era em partes iguais masculina e feminina", concluiu.

Recentemente, Demi Lovato disse que se reprimia por não se reconhecer queer.