PUBLICIDADE
Topo

Globo de Ouro contrata consultoria de diversidade após escândalo de racismo

Após denúncia de que comissão votante não tem membros negros, prêmio perdeu até contrato de exibição - Robyn BECK/AFP
Após denúncia de que comissão votante não tem membros negros, prêmio perdeu até contrato de exibição Imagem: Robyn BECK/AFP

De Splash, em São Paulo

27/05/2021 19h20

A HFPA (Associação de Imprensa Estrangeira em Hollywood, na sigla em inglês), que organiza o Globo de Ouro, anunciou hoje que contratou uma equipe de consultores especialistas em diversidade, ética e Direito do Trabalho para ajudar nas reformas do prêmio.

Em nota enviada à revista Variety, a organização afirmou: "Ainda há mais trabalho pela frente. Estamos confiantes que essas mudanças vão criar um ambiente diverso, respeitoso e transparente não somente para os novos e antigos membros da HFPA, mas também para os nossos parceiros na indústria que interagem com a Associação".

Em fevereiro, uma reportagem do jornal Los Angeles Times tornou público um escândalo de racismo e corrupção no Globo de Ouro, denunciando que não há nenhum integrante negro da comissão que vota na premiação, composta por 87 jornalistas de várias partes do mundo.

Além disso, a matéria também contesta a integridade da HFPA ao revelar que a associação, ao contrário da Academia, permite que produtores e estúdios ofereçam privilégios para seus 87 membros, influenciando assim as votações para o prêmio.

Desde a publicação da reportagem, Scarlett Johansson disse que já passou por situações que "beiram o assédio sexual" em eventos com a associação, e Tom Cruise devolveu suas três estatuetas com forma de protesto.

Além disso, a emissora NBC disse que não pretende transmitir a próxima edição do prêmio. No Brasil, a TNT também não deve exibir a cerimônia.