PUBLICIDADE
Topo

Gabeu, filho de Solimões, prepara álbum de 'queernejo': 'Gay e caipira'

O cantor queernejo Gabeu - Instagram/@eugabeu
O cantor queernejo Gabeu Imagem: Instagram/@eugabeu

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/05/2021 08h06

Gabeu, filho de Solimões, da dupla Rio Negro & Solimões, fez sucesso ao lançar sua primeira música, "Amor Rural", que virou hit do "queernejo". O jovem cantor, assumidamente gay, agora divulga novos trabalhos e falou para a Quem sobre a experiência de ser LGBT no sertanejo.

Queernejo

"Sempre me senti muito deslocado no meio sertanejo, apesar dele fazer parte da minha história. Na minha descoberta artística surgiu essa ideia de fazer o queernejo. Pensei: 'É uma caminho arriscado e que talvez nem dê certo, mas acho que vai ser verdadeiro e fazer sentido para mim'. Uni coisas muito fortes para mim, o fato de ser gay e caipira", contou Gabeu.

E, apesar do projeto voltado para as pessoas LGBT, o cantor disse que suas músicas têm chegado muito além desse público. "Acabei alcançando um público tradicional do sertanejo, que não está acostumado a debater e dialogar sobre pautas das minorias. Muitos não gostaram, não entenderam, se revoltaram, acharam um absurdo. Mas tive uma resposta positiva também de algumas pessoas do público do sertanejo tradicional e de senhoras. Algumas gostam muito, se interessam muito pela estética, letras, deboche, pela veia cômica..."

"Isso é muito bom porque de alguma forma, mesmo que minimamente, a gente está conseguindo furar um pouco a bolha", garantiu. "Eu tenho feito todo esse meu trabalho para o público LGBT que é do interior, cresceu com o sertanejo a sua volta, mas nunca se sentiu pertencente a essa cultura. Mas o que vier além disso é ótimo. Fico realmente feliz se a pessoa se identificar de alguma forma com as músicas, seja pela estética, letra ou sonoridade nostálgica. Quero conseguir fazer isso mais vezes".

Se assumindo gay

Gabeu lembra que assumir sua sexualidade em casa não foi um grande problema, e que seu pai encoraja sua carreira no queernejo. "Saí do armário aos 16 anos e pra minha família não foi um choque, todos já sabiam, a única diferença é que agora nós falamos sobre isso tranquilamente".

"Meu pai sempre me apoiou profissionalmente em qualquer coisa que eu decidisse seguir na minha vida. Não dá para negar que estar neste lugar de filho de uma pessoa que tem prestígio no mercado, já me coloca em uma posição de facilidade para produzir. Quando quis gravar a minha primeira música, não enfrentei grandes dificuldades. Conversei com o meu pai, ele me levou para o estúdio e a gente gravou. Neste sentido de fazer as coisas acontecerem facilita muito. É um privilégio e sou muito grato pelo apoio e incentivo que o meu pai me dá".

Homofobia

No entanto, apesar de contar com o incentivo do pai, Gabeu diz que ainda há muitas pessoas que comparam seu trabalho com o de Solimões e que se incomodam com um cantor abertamente homossexual em um meio tão rústico.

"Vai ter sempre alguém para comparar ou apontar o dedo, justamente porque estou fazendo algo muito diferente de toda carreira do meu pai. Estou fazendo sertanejo também, mas de outra forma. Tenho que lidar com essa pressão de estar sempre sendo comparado com o meu pai o tempo todo".

"Muitas pessoas dizem coisas absurdas como 'que vergonha para o Solimões' ou 'você deve chorar no banho por causa deste filho'. Depois de quase dois anos de lançamento da primeira música, isso não me afeta tanto, mas em determinado momento, já me afetou mais. A gente tem que saber aproveitar os privilégios e aprender a lidar com essa pressão também. Tudo isso faz parte do combo".

Novos projetos

Gabeu acaba de lançar o videoclipe de 'Pistoleira', junto com Alice Marcone. "Muito inspirado em cinema Western mas com um toque bem brasileiro e interiorano, um projeto lindíssimo", explicou. Além disso, tem ainda o projeto "Caubói": "Serão dois lançamentos de dois covers com duas performances em vídeo. O primeiro deles é 'Cowboy Fora da Lei', hino do Raul Seixas".

"Depois desse projeto tenho planos de lançar meu primeiro álbum de estúdio que já está finalizado e inclui 'Amor Rural' e 'Sugar Daddy'", concluiu.