PUBLICIDADE
Topo

'Caso Evandro': o que você precisa saber sobre o crime real que virou série

"Caso Evandro"
"Caso Evandro"
Reprodução

Mari Monts

De Splash, em São Paulo

14/05/2021 04h00

"O Caso Evandro", que estreou ontem no Globoplay, reconta a história real do assassinato de um menino de seis anos, na cidade de Guaratuba, litoral do Paraná, na década de 1990.

A série possui oito episódios, mas, por enquanto, só dois estão disponíveis na plataforma.

Dirigida por Aly Muritiba, a trama é inspirada na investigação feita pelo jornalista Ivan Mizanzuk, que deu origem ao esmiuçado podcast de mais de 30 episódios sobre a morte de Evandro e seus desdobramentos.

Continua depois da publicidade
Reprodução - Reprodução
O menino Evandro
Imagem: Reprodução

O caso envolve bruxaria, mas vai muito além disso.

Segundo o diretor, em entrevista a Splash, por mais que seja um crime que chame a atenção pelos ritos macabros, a série toca muito mais na complexidade do sistema judiciário brasileiro.

Entenda a história

O menino Evandro, de seis anos, desapareceu em Guaratuba, litoral do Paraná, em 1992. O corpo foi encontrado sem as vísceras, o coração, o couro cabeludo e outros detalhes aterrorizantes.

Na época, um grupo foi preso acusado de sequestrar Evandro para praticar bruxaria. Entre essas pessoas, estavam Celina Abagge, esposa do prefeito de Guaratuba, e a filha do casal, Beatriz Abagge.

Carlos Kaspchak - Carlos Kaspchak
Beatriz Cordeiro Abagge (primeira à esquerda), acusada de ter matado o menino Evandro Ramos Caetano em 1992, volta ao Tribunal em Curitiba
Imagem: Carlos Kaspchak
Continua depois da publicidade

O caso se arrastou por anos.

No primeiro julgamento, realizado em 1998, Beatriz e Celina foram absolvidas. O Ministério Público, no entanto, recorreu da decisão e conseguiu um novo julgamento, mas apenas Beatriz foi julgada novamente. Para a mãe o crime prescreveu, porque ela já tinha 70 anos.

Em 2016, Beatriz conseguiu o perdão da pena pelo Tribunal de Justiça do Paraná —mesmo tendo sido condenada a 21 anos de prisão.

Apesar disso, ainda há muito mistério envolvendo essas pessoas.

Aly Muritiba contou quais são os pontos fortes da série.

Dos grandes destaques estão os relatos em primeira pessoa. Os encontros com Celina e Beatriz foram muito tocantes e emocionados.