PUBLICIDADE
Topo

TNT não deve transmitir Globo de Ouro 2022 no Brasil

Regina King com o seu Globo de Ouro por "Se a Rua Beale Falasse", em 2019 - Reuters
Regina King com o seu Globo de Ouro por 'Se a Rua Beale Falasse', em 2019 Imagem: Reuters

Caio Coletti

De Splash, em São Paulo

11/05/2021 09h01

O canal por assinatura TNT, que tradicionalmente exibe o Globo de Ouro no Brasil, não deve transmitir a premiação em 2022. Falando a Splash, a assessoria do canal disse apenas que "vai seguir as recomendações" de sua matriz, a WarnerMedia.

A empresa, como informamos ontem, foi uma das que "cortaram laços" com a HFPA (Associação de Imprensa Estrangeira em Hollywood, na sigla em inglês), organizadora do Globo de Ouro.

A decisão da WarnerMedia e de outras instituições de Hollywood, como a NBC, a Netflix e a Amazon, vem por causa de um escândalo de racismo e corrupção envolvendo a HFPA.

Uma matéria do jornal Los Angeles Times revelou, em fevereiro, que a organização não tinha nenhum membro votante negro, e que muitos dos jornalistas integrantes recebiam "mimos" de estúdios — uma forma antiética de tentar influenciar votos na premiação.

Desde então, a organização do Globo de Ouro (cuja edição de 2021 aconteceu normalmente) propôs algumas ações para tornar o seu quadro de votantes mais diverso. No entanto, organizações ativistas como o Time's Up criticaram as medidas como insuficientes.

Ricky Gervais apresenta Globo de Ouro 2020, em Beverly Hills - HANDOUT - HANDOUT
Ricky Gervais apresenta Globo de Ouro 2020, em Beverly Hills
Imagem: HANDOUT

Em declaração à imprensa estrangeira, a WarnerMedia fez coro às preocupações desses ativistas, e ainda apontou que, de acordo com a linha do tempo definida pela HFPA, as próximas duas edições do Globo de Ouro (2022 e 2023) seriam "impactadas pelo mesmo corpo de votantes" da atualidade.

Por muito tempo, exigências de 'mimos', favores especiais e pedidos pouco profissionais foram feitos [pelo time do Globo de Ouro] a nós e a outros em nossa indústria. Nos arrependemos de ter apenas reclamado, mas tolerado esse comportamento, até agora."
WarnerMedia rompe laços com o Globo de Ouro

A empresa ainda "sugeriu" que as mudanças na HFPA deveriam incluir "um código de conduta específico e bem vigiado, que inclua uma política de tolerância zero a incidentes de contato físico não consentido com atores e equipe".

Trata-se de uma referência a comentários feitos por Brendan Fraser ("A Múmia") em 2018, acusando um membro da HFPA de assédio sexual durante um evento do Globo de Ouro.

Cena de 'A Múmia', um dos filmes de maior sucesso de Brendan Fraser - Divulgação - Divulgação
Cena de 'A Múmia', um dos filmes de maior sucesso de Brendan Fraser
Imagem: Divulgação