PUBLICIDADE
Topo

Luísa Sonza critica governo em desabafo: 'No momento, estou com muito ódio'

Luísa Sonza usa redes sociais para criticar governo Bolsnaro - Reprodução/Instagram
Luísa Sonza usa redes sociais para criticar governo Bolsnaro Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para Splash, em São Paulo

10/05/2021 08h57

Mexida com a morte de Paulo Gustavo, vítima de complicações da covid-19 aos 42 anos, Luísa Sonza criticou o governo de Jair Bolsonaro em um desabafo nas redes sociais.

"Ver o Brasil nesse estado é desesperador. Como seguir vendo tanta gente morrendo nesse país por causa do descaso de um governo genocida?", disse a cantora no Twitter.

"Estou com tanta raiva. Tanta tristeza. Não consigo parar de pensar no Paulo, e em todas as vidas que perdemos por um vírus que tem vacina. Todas essas mortes poderiam ter sido evitadas por um governo minimamente decente."

Após pedir ajuda a Deus, a cantora continuou seu desabafo em uma série de tweets na rede social. "Está triste demais ver um país tão incrível como o Brasil, com tanta riqueza e beleza nas mãos de um governo como esse."

"Torço e espero do fundo do meu coração que venham dias melhores para esse país que amo tanto", acrescentou ela. "Enfim. Eu tô na merda. Tô com raiva. Tô cansada", contou em seguida.

"Por último: acredito muito que o ódio nunca resolve nada. Que odiar alguém nunca é a solução, independente de qualquer coisa. Porém, nesse momento eu preciso desabafar sobre uma coisa que é: Bolsonaro, eu te odeio"

Luísa Sonza, que recentemente assumiu sua bissexualidade em um videoclipe com Carol Biazin, ainda disse aos seguidores que o odiar não resolve nada, mas que no momento está com muito ódio do governo.

No sábado, Luciano Huck também criticou a gestão de Bolsonaro em lidar com a covid-19 ao falar sobre a perda do amigo, Paulo Gustavo. "Foi uma partida injusta porque poderia ser evitada."

Ele citou a "mudança de rumos" na política dos Estados Unidos para sustentar seu argumento. "Eles tiveram a sabedoria de ouvir a ciência e mudaram os rumos."

"Em três meses, vacinaram a população. Agora, a Broadway anunciou que vai reabrir suas cortinas. Aqui, seguimos chorando nossos mortos. É muito revoltante", disse no programa "Caldeirão do Huck", da TV Globo.