PUBLICIDADE
Topo

Maria Callas teria sido drogada e abusada pelo magnata Aristóteles Onassis

A cantora Maria Callas em holograma - Reprodução
A cantora Maria Callas em holograma Imagem: Reprodução

Colaboração para o UOL, em São Paulo

23/04/2021 08h33

Uma nova biografia, baseada em cartas inéditas de Maria Callas, mostra detalhes de seu relacionamento com o bilionário Aristóteles Onassis. Segundo registros, ela era drogada e abusada sexualmente pelo marido.

"A cantora Callas pode ter tido a vantagem no mundo da música, mas a mulher Maria foi uma vítima das circunstâncias", disse a autora da obra, Lyndsy Spence. As informações são do jornal inglês Daily Mail.

Maria Callas já foi tema de inúmeras biografias, mas Spence conseguiu detalhes importantes sobre a estrela da ópera através de caixas com suas cartas, que estavam guardadas na Universidade de Stanford, Califórnia.

A soprano e o magnata da navegação ficaram juntos durante nove anos. Em 1968, ele pediu o divórcio para se casar com Jacqueline Bouvier Kennedy, viúva do presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy.

De acordo com a autora, Aristóteles Onassis a torturava emocional e fisicamente. O bilionário costumava drogar a cantora com sedativos, dos quais ela ficou viciada posteriormente.

Ainda segundo Lyndsy Spence, Callas já estava sofrendo com problemas mentais na época, associados à pressão da carreira e às traições de Onassis em bordéis

Em 1977, nove anos após o divórcio, Maria Callas morreu aos 53, vítima de um ataque cardíaco em seu apartamento em Paris. Aristóteles Onassis morreu dois anos antes, aos 69, após complicações em uma cirurgia para tratar pneumonia.