PUBLICIDADE
Topo

Legião Urbana: Dado e Bonfá lamentam briga no STJ com filho de Renato Russo

Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá receberam André Frateschi nos vocais para reviver os anos da Legião Urbana - Mariana Pekin/UOL
Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá receberam André Frateschi nos vocais para reviver os anos da Legião Urbana Imagem: Mariana Pekin/UOL

De Splash, em São Paulo

22/03/2021 17h01

Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá seguem em batalha judicial com o filho de Renato Russo, Giuliano Manfredini, pela posse da banda Legião Urbana. A dupla lamenta a disputa no STJ (Superior Tribunal de Justiça) e lembra que o cantor indicava que a empresa era de todos.

Em publicação feita no Instagram, Dado e Bonfá fizeram um comunicado oficial revivendo a questão e lembrando que a ação ainda corre nos tribunais.

"Sempre foi público e notório que a Legião Urbana era de Renato, Dado e Bonfá. Nas palavras do próprio Renato, a banda era da banda e não existiria sem um de nós", diz a dupla em comunicado.

O motivo da disputa é antigo. Segundo Dado e Bonfá, ainda na fase de estruturação da banda, os contadores aconselharam que cada um abrisse uma empresa em seu nome — que teria os outros integrantes como sócios minoritários.

Em dado momento, a banda precisou reaver o direito de usar o nome Legião Urbana no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) e usou a empresa que estava no nome de Renato Russo para isso, a Legião Urbana Produções Artísticas Ltda.

Dessa forma, ainda que os lucros fossem divididos igualmente entre o trio, a banda ficou registrada no nome do cantor — que morreu em decorrência de complicações da Aids em 1996.

"Renato dizia que a Legião Urbana pertencia aos seus integrantes, cabendo a eles todas as decisões da banda. Tanto é verdade que todas as receitas e despesas eram divididas igualmente entre os integrantes, exceto os direitos autorais das composições", citam Dado e Bonfá no comunicado.

Os advogados do herdeiro de Renato Russo argumentaram no processo que corre no STJ que Dado e Bonfá não podem usar o nome da banda sem autorização, já que eles não são donos do registro.

Em ação outra ação atrelada a essa, Giuliano Manfredini busca ter acesso aos contratos e receber um terço das receitas das turnês que a dupla fez cantando músicas da Legião Urbana.

Dado e Bonfá, por sua vez, argumentam que fizeram questão de reforçar a ideia de que não são a Legião Urbana, uma vez que a banda acabou com a morte de Renato. Juntos, eles fizeram turnês comemorando o lançamento dos álbuns da banda e cantando suas músicas.

São elas: "Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá tocam 'Legião Urbana' [o primeiro álbum da banda] 30 anos" e "Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá tocam 'Dois' e 'Que País É Esse'".