PUBLICIDADE
Topo

Liberdade para ser quem quiser: o que o TikTok significa para a geração Z

TikTok: um mundo de liberdade e tolerância para os adolescentes - Instagram/TikTok/Reprodução
TikTok: um mundo de liberdade e tolerância para os adolescentes
Imagem: Instagram/TikTok/Reprodução

Daniel Palomares

De Splash, em São Paulo

17/03/2021 04h00

Eles já nasceram com a internet. Adoram roupas e cabelos coloridos. Não têm medo de brincar em frente às câmeras. Se você que está lendo isso tem mais de 20 anos, lamento dizer, mas eles devem te achar ultrapassado.

O TikTok é a rede social que fez a cabeça dos jovens, a tal geração Z, nascida do final dos anos 1990 ao longo dos anos 2000. Com uma cabeça mais aberta e mil coisas a dizer, eles usam a plataforma para muito mais do que desafios de dança. O objetivo é construir uma comunidade em que cada um se sinta livre para ser quem quiser.

@mab_horse

##dueto com @ @karolconka EU TENHO FAMÍLIA

? CountDown - T.M.T

Incompreendidos

Não faz muito tempo que Mab Horse, como gosta de ser chamada, decidiu embarcar no TikTok. Aos 19 anos, ela (que também se identifica como ele) tinha se formado na escola e estava naquele momento complicado de decidir o que fazer pelo resto da vida. Só que a pandemia aconteceu e o app acabou assumindo o protagonismo em sua vida.

Estou tendo esse tempo para me conhecer mais e me aceitar como eu sou. Acho que as outras plataformas não são para a gente. Se postamos no Facebook, a galera mais velha não entende. No TikTok, estamos com a galera da nossa idade.

Opina Mab, que acumula mais de 3 milhões de seguidores nas redes sociais

@alexonbilhoto

Amados? @danisoomin @mab_horse @paulogomiz @joaoheenry @teusallves @eljannio @agnesmelo_oficial

? original sound - Alexon Bilhoto

O conteúdo do TikTok funciona em um universo particular. Alexon Faria, 19, assustou-se com as reações negativas que um vídeo seu ao lado dos amigos, publicado no app, recebeu em outras redes sociais. "Fomos cancelados e todo o mundo criticou nossa aparência no Facebook. No TikTok, sabemos que seremos acolhidos."

Entre os amigos de Alexon estão Agnes Melo, 20, João Heenry, 16, Teus Allves, 16, e Paulo Gomiz, 15. Quando o assunto é o mundinho criado por Mark Zuckerberg em 2004, eles são unânimes: já se foi o tempo do Facebook.

Facebook é só para a minha avó! Nem a minha mãe usa mais aquilo. Ela adora participar dos meus vídeos no TikTok. A plataforma do Face é ultrapassada, desatualizada. Só nossa família e gente mais velha estão ali.

Dispara João, que se mudou da Bahia para São Paulo há cinco meses a fim de investir na carreira em redes sociais

tgrvrtrt - Instagram/Reprodução - Instagram/Reprodução
João Heenry se mudou para São Paulo para investir na carreira como influenciador
Imagem: Instagram/Reprodução

Válvula de escape

Já dizia o eterno Chorão que o jovem no Brasil nunca é levado a sério. Mas acredite: eles têm mais a dizer do que você imagina. O TikTok se tornou o espaço onde compartilham seus pensamentos, angústias ou simplesmente expressam qualquer coisa que estejam sentindo, sem medo de julgamentos.

trgrrr - Instagram/Reprodução - Instagram/Reprodução
Teus Allves festeja a liberdade que consegue ter no TikTok
Imagem: Instagram/Reprodução

"É no TikTok que eu vou quando estou me sentindo mal. Posso ser quem eu quero, posso desabafar", conta Teus. "Adoro ler os comentários dos seguidores sobre mim, os elogios que eles fazem. Ver como se importam comigo. Isso ajuda na minha autoestima", completa Mab.

@mab_horse

Sério gente n to bem

? som original - mab

Agnes foi mãe aos 17 anos, por escolha própria. Vive com o namorado e a filha de 3 anos, sabe tudo sobre maternidade, mas ainda desperta certos olhares de reprovação quando é vista na rua. Agnes é uma e-girl, uma espécie de emo da nova geração, grupo que usa maquiagens e cabelos coloridos.

Olham para mim e pensam que sou uma mãe horrível ou que não sei quem é o pai. Essa geração mais velha me vê com pena, pede para que eu mude de estilo por causa da minha filha. Por mais que eu seja jovem, eu tenho conhecimento. As pessoas mais velhas não entendem que a gente tem capacidade de aprender.

gfbgg - Instagram/Reprodução - Instagram/Reprodução
Agnes Melo escolheu ser mãe aos 17 anos e divide a maternidade com o TikTok
Imagem: Instagram/Reprodução

O TikTok é uma maneira de os adolescentes se provarem. Paulo foi finalista da quinta temporada do "The Voice Kids", encerrada no ano passado, e também se dedica ao teatro musical e à dublagem. Para ele, o app, além de plataforma para o seu trabalho, permite que ele expanda seus horizontes.

Nós, adolescentes, estamos dispostos a aprender, temos uma cabeça mais aberta. Não julgamos tanto. Me tornei mais aberto pelo TikTok, conheci mais sobre outras culturas, religiões, racismo, orientação sexual.

tgrvgggr - Instagram/Reprodução - Instagram/Reprodução
Paulo Gomiz trabalhou com Simone e Simaria durante o "The Voice Kids"
Imagem: Instagram/Reprodução

Eles fazem o futuro

O TikTok abriu mais possibilidades. Acumulando milhões de seguidores na plataforma, eles assinam contratos publicitários, recebem produtos para divulgar e, mesmo tão novos, já lucram com sua presença na rede. A fama na internet, porém, tem seu ônus. Tornar-se uma pessoa pública atrai o receio de ser "cancelado" e uma constante patrulha sobre tudo o que é compartilhado.

"É legal quererem saber de você, mas é muito assustador não poder expor certas opiniões porque tem gente que vai gostar e gente que vai te massacrar", pondera Mab. "Não queremos passar uma imagem ruim para as pessoas, então, precisamos viver nos controlando para não afetar os seguidores", completa Agnes.

Brnirnirf - Mike Blake/Reuters - Mike Blake/Reuters
Billie Eilish, a queridinha da geração Z
Imagem: Mike Blake/Reuters

Quando pensam em grandes inspirações para suas trajetórias, os ídolos se repetem: Ariana Grande, Billie Eilish, Harry Styles, Justin Bieber e Anitta viram ícones de estilo e exemplos a serem seguidos. Assim como os artistas que admiram, os jovens do TikTok não querem apostar num destino tradicional daqui para a frente.

Tem gente que acha que carreira é só fazer faculdade, comprar um Corolla e trabalhar igual a uma cadela todos os dias. Tem gente que não quer nada disso. A sociedade força demais essa ideia. Desde pequeno, ficamos escutando sobre qual profissão seguir. Acho que somos mais tranquilos com essa pressão.

Diz João Heenry que, no entanto, não esconde o desejo de cursar direito um dia (uma prima advogada sempre foi o xodó da família!)

Seja só por diversão ou pela necessidade de os jovens se expressarem, o TikTok conquistou uma geração que quer e precisa ser ouvida. Talvez você, assim como eu, já tenha passado da idade para entender esse sucesso. Mas com certeza temos muito a aprender!