PUBLICIDADE
Topo

Polícia pede prisão de MC Poze, Negão da BL e mais 12 por shows na pandemia

O MC Negão da BL está na lista de artistas acusados de infringir medida sanitária  - Instagram/Reprodução
O MC Negão da BL está na lista de artistas acusados de infringir medida sanitária Imagem: Instagram/Reprodução

Tatiana Campbell

Colaboração para o Splash, no Rio de Janeiro

02/03/2021 11h27Atualizada em 02/03/2021 15h42

A Polícia Civil pediu a prisão do cantor MC Poze do Rodo, Negão da BL e outros 12 artistas pelos crimes de infração de medida sanitária preventiva, epidemia e associação ao tráfico de drogas. Segundo as investigações eles participaram de bailes funks durante o carnaval no Rio de Janeiro gerando aglomerações em meio a pandemia do coronavírus.

Além disso, de acordo com os agentes da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática e da Delegacia de Combate às Drogas, as festas foram realizadas em áreas abertas nas comunidades, sob o controle, autorização e responsabilidade dos grupos criminosos que comandam cada área.

A polícia informou ainda que os traficantes "aumentam seus ganhos ilegais com a realização de tais eventos clandestinos" e que as festas "contribuem para a disseminação da covid-19, acelerando o contágio e aumentando o número de infectados e de mortes".

Os acusados, de acordo com a Civil, descumpriram decretos estaduais e municipais que determinam a suspensão de atividades que envolvam aglomeração de pessoas, além de desrespeitar a Lei do Silêncio com músicas que fazem apologia ao crime.

Ao Splash, o delegado Pablo Sartori, titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, disse que o objetivo dos pedidos de prisão é mostrar a gravidade que estas festas causam para a população.

"Nós queremos é parar com as festas, porque é uma fonte de renda pro tráfico, uma vez que é ele que fica responsável, ele que autoriza. O principal foco ainda é a pandemia, tiveram eventos no carnaval que reunia milhares de pessoas dentro de uma comunidade, que depois retornava para os seus bairros, seus municípios espalhando ainda mais a doença. A ideia da prisão é para que não se façam mais festas e que eles percebam a gravidade dos atos"

Procurada pelo Splash, a defesa de MC Poze informou que não irá se manifestar no momento. Os demais citados ainda não foram localizados. Mais tarde, nos Stories, Poze escreveu:

"Por que tudo isso comigo? Porque tenho uma família que só mora comigo, depende de mim pro pão de cada dia em casa. Eu mereço ser feliz, sou bom. Quem me conhece sabe, parem com isso, por favor. Eu só quero ser um pouco feliz".

Já Negão da BL postou no Instagram. "Boa tarde, venho agradecer a todos que estão me mandando forças. Estão tentando roubar o meu sorriso, mas não vão conseguir."

Os envolvidos foram indiciados pela prática dos crimes de Infração de Medida Sanitária Preventiva, Epidemia e Associação ao Tráfico de Drogas, além de terem as prisões cautelares requeridas à Justiça.

Confira abaixo quem são os alvos:

* Comunidade do Jacarezinho - Evento: Carnaval do Jaca
- Marcos Almeida da Costa - DJ Markinho do Jaca;
- Leonardo Helcias Andrade Cardoso - o Leo
- Denílson Rodrigues Ferreira - DJ Denilson do Chapadão;
- Adriano de Souza Freitas, vulgo CHICO BENTO, líder da quadrilha de narcotraficantes da localidade.

* Comunidade da Pedreira - Evento: Pedra Folia
- Luiz Cedro da Silva Junior - o Junior;
- André dos Santos Saraiva - DJ Andrezinho da Divisa;
- Rodrigo Santos Silva - DJ RD San;
- Rene de Freitas Lopes Araujo, vulgo COELHO DA PEDREIRA, líder da quadrilha de narcotraficantes da localidade.

* Comunidade do Castelar - Evento: Baile do Castelar Especial de Carnaval
- Marlon Brendon Coelho Couto da Silva - MC Poze do Rodo;
- Rangel da Silva Castro;
- Jose Carlos dos Prazeres Silva, vulgo CEM ou PIRANHA, líder da quadrilha de narcotraficantes da localidade.

* Comunidade de Acari - Evento: Acari Folia
- Mateus Bento de Souza - negão da BL;
- Gerson Rezende Sampaio e Silva;
- Alexsander Mesmer Fernandes, vulgo FORMIGÃO, líder da quadrilha de narcotraficantes da localidade.