PUBLICIDADE
Topo

Eddie Murphy foi obrigado a escalar ator branco em Um Príncipe em Nova York

Eddie Murphy e Louie Anderson em "Um Príncipe em Nova York" - Reprodução
Eddie Murphy e Louie Anderson em 'Um Príncipe em Nova York' Imagem: Reprodução

De Splash, em São Paulo

02/03/2021 08h45

Eddie Murphy e Arsenio Hall relembraram, em entrevista ao Jimmy Kimmel Live, como o estúdio Paramount os obrigou a escalar pelo menos um ator branco em "Um Príncipe em Nova York", clássico lançado em 1988.

"Eu amo Louie Anderson, mas acho que fomos forçados a colocá-lo neste filme. Fomos forçados a colocar uma pessoa branca", contou Hall, se referindo ao comediante que viveu Maurice no filme.

Isso foi na década de 1980, sabe? Então eles disseram: 'Precisamos ter pessoa branca no filme. Tem que ter uma pessoa branca no filme'. Eu fiquei tipo: 'Oi?'. Ficamos pensando em quem era o cara branco mais engraçado que existia. Nós sabíamos que Louie era legal, então foi assim que ele entrou para o filme."
Eddie Murphy sobre escalação de Louie Anderson em 'Um Príncipe em Nova York'

Hall deu uma outra versão da história, no entanto, lembrando que o estúdio mostrou uma lista com os nomes de três comediantes brancos a ele e perguntou com qual gostaria mais de trabalhar.

Veja a entrevista (em inglês):

Racismo 'não atrapalhou carreira'

Em outra entrevista, ao Radio Times, Murphy reconheceu que é impossível ser negro nos EUA sem "viver algumas m*rdas", como ele definiu as situações racistas que já enfrentou. O astro disse, no entanto, que sua cor nunca afetou a sua carreira.

Acho que, em termos do meu trabalho, isso nunca foi um problema. Estou fazendo filmes há 40 anos, e nunca tive dificuldades por ser negro. Acho que transcendi esse tipo de coisa, mas isso não quer dizer que vim direto do paraíso para Hollywood. Sou um negro nascido nos EUA, sou afro-americano. Não há como crescer neste país sem viver algumas m*rdas."
Eddie Murphy reflete sobre racismo

Ele também reconheceu que sua experiência não é universal em Hollywood, observando que os negros não são as únicas minorias pouco representadas no cinema.

"As coisas são do jeito que são há anos, mas não são só os afro-americanos. Mulheres e outras minorias, também. Os homens brancos comandam esse negócio. Sempre foi assim", comentou.

Murphy, Hall e Louie vão reprisar seus papéis em "Um Príncipe em Nova York 2", que chega na sexta-feira ao Amazon Prime Video do Brasil.