PUBLICIDADE
Topo

Michael B. Jordan se abre sobre perda de Chadwick Boseman: "Doeu demais"

Colaboração para Splash, em São Paulo

23/02/2021 22h20

Michael B. Jordan faz raro desabafo para a revista 'Vanity Fair' sobre a perda do colega de elenco e amigo, Chadwick Boseman. Quando perguntado sobre o que mais o fez chorar em 2020, Jordan respondeu sem dúvida: a morte do amigo.

O ator de 34 anos falou sobre o que a amizade com o 'Pantera Negra' significava para ele: "Nosso relacionamento era muito pessoal e foi cheio de ótimos momentos - alguns eu não pude apreciar ou compreender totalmente até agora. Gostaria de ter tido mais tempo para que nosso relacionamento pudesse evoluir, crescer, ficar mais próximo e mais forte", revelou Michael.

"Tivemos uma dose concentrada de Chadwick. Ele fez mais em seus 43 anos de vida do que muita gente fez em sua vida inteira. E ele esteve aqui pelo tempo que era para que ele ficasse, e ele teve seu impacto e seu legado. Isso ficou claro com a abundância de amor que ele teve de pessoas ao redor do mundo todo", disse o ator, em tom de homenagem. "Existem gerações que o terão como exemplo. É incrível", completou ele.

Ainda sobre a perda, Michael desabafou: "Perdê-lo... é, doeu. Doeu demais. Foi o que provavelmente mais me fez chorar em 2020".

O ator disse o quanto ficou impressionado com a batalha que Chadwick travou sozinho. "Ele era uma pessoa incrível. Sua família e sua mulher são tão fortes. As pessoas que ele tinha à sua volta são verdadeiramente especiais. Para manter algo assim em sigilo por tanto tempo... Na nossa cidade é quase impossível fazer isso. Isso fala sobre o tipo de pessoa que ele era, trabalhar tão pesado quanto ele trabalhava em seus últimos momentos. É verdadeiramente incrível", contou Jordan.

Chadwick Boseman faleceu em 2020 após uma batalha de 4 anos contra um câncer de cólon.