PUBLICIDADE
Topo

Ludmilla fala sobre inspiração em Beyoncé: 'Ela é o meu espelho'

A cantora fluminense Ludmilla - Reprodução/Internet
A cantora fluminense Ludmilla Imagem: Reprodução/Internet

Colaboração para Splash, em São Paulo

18/02/2021 08h28

Ludmilla iniciou sua carreira como MC Beyoncé. Hoje técnica do "The Voice +", a cantora fala da relação que tinha com a música da artista na infância.

"A lembrança que tenho da minha infância que me marcou musicalmente foi estar passando numa feira e cruzar com o DVD da Beyoncé. Foi dali que me deu o start de que eu queria virar uma cantora, com bailarinos, banda, me vestir daquele jeito, me sentir poderosa", revelou ela em entrevista ao Gshow.

Desde esse primeiro contato com as músicas de Beyoncé e o início da carreira, no entanto, ainda levou um tempo. Ela conta que, quando era criança, o ritmo que mais tocava em sua casa era outro: "Minha família sempre foi muito pagodeira e meu padrasto tocava, então sempre ia com ele para as rodas de samba", recordou ela, que atualmente também trabalha com o ritmo musical no projeto "Numanice Ao Vivo", seu EP de pagode.

Mas a diva não saiu mais de sua cabeça e Lud virou uma grande fã da cantora. "Se minha nota vinha baixa, minha mãe falava: 'Isso é culpa da Beyoncé, você só quer saber dela!'. Se meu quarto estava bagunçado: 'Culpa da Beyoncé! Você só ouve e dança Beyoncé!'. Até hoje continuo com essa sina pela Beyoncé".

Sua estreia no funk acabou acontecendo por acaso. "Numa festa de umas amigas minhas o som tinha dado pau e só ficava na batida de funk. Como eu era a cantora do pagode, da rua e do banheiro, que era de frente para a rua e todo mundo ficava batendo palma, falaram: 'Ludmilla vai cantar lá para a gente'. Eu cantei e já virei MC Ludmilla", contou ela.

Ao saber que Lud estava cantando funk, seu tio decidiu apoiá-la e levá-la a um estúdio em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, onde a cantora foi criada. "Fomos num estúdio de funk que tinha em Caxias e deixei a música lá gravada para o DJ produzir. Ele produziu, ficou legal, eu perguntava quando a gente ia soltar e ele falava: 'Só faltam alguns ajustes'. No outro dia, apareceu a música na internet, só que com outra menina gravando".

A primeira decepção acabou a inspirando a compor sua própria música. "Fui para casa e, de madrugada, me veio uma inspiração e fiz 'Fala Mal de Mim'. Aí liguei para o meu DJ e perguntei se ele podia gravar. Na época, tinha muita vergonha. Queria que eles saíssem do estúdio para eu cantar, mas, como não dava, apaguei a luz, fiquei de costas para eles e comecei a gravar", explica ela, emendando que foi nesse momento que surgiu o nome MC Beyoncé.

"O DJ falou que Ludmilla era um nome muito comum e, como eu era muito fã da Beyoncé, decidiu colocar MC Beyoncé. Foi aí que começou essa história."

O sucesso foi imediato e as portas começaram a se abrir. "Quando a música ficou pronta, botamos na internet e, com alguns dias, já tinha milhões de visualizações. Não imaginava que essa música ia bombar tanto! Foi onde tudo começou e, com 16 anos, eu já dormia fora de casa e cantava no Brasil inteiro", celebra ela que, apesar de hoje usar seu próprio nome na carreira artística, continua se espelhando em Beyoncé. "Eu queria ser grande, queria ser igual à Beyoncé. Ela é o meu espelho."