PUBLICIDADE
Topo

Quem é Kawe, cantor de trap que passou Safadão e Anitta no topo do Spotify

Kawe, trapper que chegou no primeiro lugar do Top 50 do Spotify
Kawe, trapper que chegou no primeiro lugar do Top 50 do Spotify
Divulgação

Guilherme Lucio da Rocha

De Splash, em São Paulo

28/01/2021 04h00

Da Terceira Divisão, bairro do extremo Leste de São Paulo, para o 1º lugar no top 50 do Spotify.

Kawe, autor da música "Mds" em parceria com MC Lele JP, começou 2021 com sua música se tornando um viral no TikTok e ocupando o topo das paradas musicais.

Continua depois da publicidade

Em entrevista para Splash, o trapper ainda custa a acreditar no que está acontecendo. Faltaram palavras para o jovem de 21 anos descrever a sensação de desbancar musicas como "Ele é Ele, Eu Sou Eu", de Wesley Safadão e Barões da Pisadinha, e "Modo Turbo", de Anitta, Luísa Sonza e Pabllo Vittar.

Então... [pausa de alguns segundos]. Não sei nem o que falar. Minha música é a mais ouvida no Spotify, mas eu ainda não sei o tamanho disso, é algo muito louco.
Kawe

E se eu disser que 'Mds' nasceu de improviso, você acredita?

Kawe explicou que, há cerca de oito meses, foi gravar o videoclipe da música "Iluminado", que hoje acumula mais de 44 milhões de visualizações no YouTube. As filmagens contariam com a participação do MC Lele JP.

Continua depois da publicidade

Porém, para ilustrar "Iluminado" —uma música que fala de superação, esforço, com todo um ar motivacional—, a produção do videoclipe escolheu uma lancha e um clima de festa.

Para contornar a situação, Kawe sugeriu uma troca: em vez de "Iluminado", eles gravariam o clipe de "Mds", música com espírito de curtição, que tem muito mais a ver com uma festa numa lancha.

O único detalhe era que a faixa ainda não estava pronta.

Nada que um bom rimador não consiga resolver em 30 minutos.

Essa música só tinha minha parte. Chamei o Lele, ele fez a parte dele em meia hora, gravou no celular e arriscamos. Ele só passou a voz final dias depois. Foi loucura, mas rolou.
Kawe
Continua depois da publicidade

Cria - e criador - das batalhas

Kawe Cordeiro dos Santos conta que sempre teve o apoio da família para realizar o sonho de ser músico. O pai, Valdir, pagava suas primeiras produções e videoclipes com o dinheiro da venda de camisas de várzea.

Só que a distância para o sonho na música era física também. Fã das batalhas de rap e morando no extremo Leste da cidade, era difícil acompanhar os eventos que aconteciam no Centro.

Não tinha condições de atravessar a cidade para ir nas batalhas. Reuni uns amigos e criei a nossa própria batalha. Foi ali que eu cresci e tive a certeza que queria viver de rima.
Kawe

Sonhando em um dia fazer feat. com Matuê e Mano Brown, dos Racionais MC's, Kawe conta que também é muito próximo do funk e amigo de vários MCs.

Continua depois da publicidade

Agora com sua música alcançando lugares que ele nunca imaginou, falta ter uma noção de como é ver seus sons na boca do povo. Infelizmente, por causa da pandemia do novo coronavírus, ele ainda não teve essa experiência.

Quando essa pandemia passar, vou ter uma noção real de como está o meu trabalho nas ruas. É muito louco pensar que fiz sucesso com tudo, entre aspas, parado.