PUBLICIDADE
Topo

'BBB' paga R$ 1,5 milhão há 11 anos, mas inflação 'diminuiu' muito o prêmio

Montagem com logo do BBB e "chuva" de dólares
Montagem com logo do BBB e "chuva" de dólares
UOL

Ana Carolina Silva

De Splash, em São Paulo

19/01/2021 12h00

Todo começo de ano é a mesma coisa: a Globo começa a divulgar uma nova temporada do "Big Brother Brasil" e alardeia o prêmio de R$ 1,5 milhão. Mas a quantia oferecida ao vencedor é a mesma desde 2010 e perdeu valor por não ter acompanhado a inflação.

Se a Globo corrigisse o valor de acordo com a calculadora do IPCA (o índice nacional e padrão de preços da economia), que indica inflação de 84,27% desde janeiro de 2010, o prêmio atualmente deveria ser de R$ 2,764 milhões.

Continua depois da publicidade
reprodução/Banco Central do Brasil - reprodução/Banco Central do Brasil
Imagem: reprodução/Banco Central do Brasil
Como a inflação é a medição dos preços de uma cesta de produtos do consumo das famílias brasileiras, pode-se dizer que o prêmio do 'BBB' perdeu valor ou perdeu poder de compra.
Paula Zogbi, especialista da Rico Investimentos

Ou seja, itens que um brasileiro podia comprar com R$ 1,5 milhão em 2010 só poderiam ser adquiridos hoje em dia com quase o dobro de dinheiro.

Este cálculo de Splash foi confirmado pela especialista Paula Zogbi, da Rico Investimentos, e pela economista Gabriela Chaves, colunista do UOL Economia.

montagem com foto de John W Banagan/royalty free/Getty Images - montagem com foto de John W Banagan/royalty free/Getty Images
Imagem: montagem com foto de John W Banagan/royalty free/Getty Images

Este é o maior período sem reajuste na história do "BBB", que pagou R$ 500 mil de 2002 a 2004, R$ 1 milhão de 2005 a 2009, e começou a pagar R$ 1,5 milhão em 2010.

Considerando a inflação e o atual poder de compra da nossa moeda, o valor deveria ser maior em 2021?

Continua depois da publicidade
Pensando na inflação, sim, essa correção deveria ser feita para garantir um prêmio que tenha um poder de compra maior. Em 2021, R$ 1,5 milhão não compra o que comprava há 10 anos.
Gabriela Mendes Chaves, colunista do UOL Economia

É a inflação que nos impede de encher um carrinho no mercado gastando a mesma coisa que há anos. Por isso, o salário mínimo precisa ser corrigido sempre —mas, em 2021, o reajuste definido pelo governo federal não cobriu a inflação de 2020; o mesmo vale para o prêmio do "BBB".

PM Images/royalty free/Getty Images - PM Images/royalty free/Getty Images
Imagem: PM Images/royalty free/Getty Images

Como o salário mínimo de 2010 era R$ 510, podemos dizer que naquele ano o "BBB 10" pagou o equivalente a 2.499 salários mínimos (ou seja, cabiam 2.499 salários de R$ 510 em R$ 1,5 milhão).

Hoje, R$ 1,5 milhão equivale a "só" 1.363 vezes o salário mínimo atual (R$ 1100). Quase metade do valor de 2010.

Pelo mesmo efeito, o prêmio de 2020 foi 'maior' do que será em 2021, mas 'menor' do que o de 2019 e assim sucessivamente.
Paula Zogbi, especialista da Rico Investimentos
Continua depois da publicidade

O preço dos carros é outro parâmetro interessante.

Em 2010, com R$ 1,5 milhão, dava para comprar 54 carros novos da versão básica do Gol, da Volkswagen (era possível achá-lo por R$ 27 mil). Dez anos depois, um modelo básico do Gol custa mais de R$ 55 mil (o prêmio do "BBB" compraria só 27 destes).

Nelson_A_Ishikawa/royalty free/Getty Images - Nelson_A_Ishikawa/royalty free/Getty Images
Imagem: Nelson_A_Ishikawa/royalty free/Getty Images

O dólar americano, então, nem se fala.

A moeda dos Estados Unidos disparou de lá para cá: o dólar custava menos de R$ 2 em 2010, e hoje vale mais de R$ 5. Ou seja, Marcelo Dourado, campeão do "BBB 10", poderia comprar mais de US$ 750 mil com seu prêmio. Agora, R$ 1,5 milhão vale menos de US$ 300 mil.

Isso significa que vencer o "BBB" não é mais tão importante? Não é isso.

Na era das redes e dos influenciadores, o programa acaba "premiando" de outras maneiras quem consegue passar 100 dias confinado diante das câmeras de TV (e não só com os carros que os participantes podem ganhar).

Reprodução/TV Globo - Reprodução/TV Globo
Thelma foi a campeã do "BBB 20"
Imagem: Reprodução/TV Globo
Continua depois da publicidade

A edição de 2020 deixou claro que o reality da Globo ainda é uma potência de audiência e pode, inclusive, alavancar a carreira de famosos que nem dependem mais do prêmio dado ao vencedor. A ascensão midiática de Manu Gavassi e Babu Santana, por exemplo, pode até ter valido mais do que R$ 1,5 milhão.

Cleiby Trevisan - Cleiby Trevisan
Manu Gavassi não venceu o "BBB 20", mas se deu bem com o tempo de exposição na TV
Imagem: Cleiby Trevisan