PUBLICIDADE
Topo

'Situação era gravíssima', diz dentista sobre agressões a Henri Castelli

Henri Castelli publicou vídeo nos Stories
Henri Castelli publicou vídeo nos Stories
Reprodução/Instagram @henricastelli

Guilherme Lucio da Rocha

De Splash, em São Paulo

13/01/2021 12h05

O ator Henri Castelli foi agredido na madrugada do dia 29 para o dia 30 de dezembro de 2020, em Barra de São Miguel, Alagoas.

A cirurgiã-dentista Rana Saleh, que atendeu o ator após as agressões, disse a Splash que, ao receber imagens, percebeu que a situação era gravíssima.

Se não houvesse um socorro imediato poderia ser irreversível, com muitas sequelas, o que prejudicaria sua vida pessoal e profissional.
Rana Saleh, cirurgiã-dentista
Continua depois da publicidade

Rana, que não estava em Alagoas, conta que, num primeiro momento, não quis assustar seu paciente e recomendou que ele procurasse um posto de pronto atendimento na cidade.

A cirurgiã-dentista acompanhou todo o processo clínico a distância e manteve contato com os médicos locais que cuidaram de Castelli.

Ela diz que os danos causados não são comuns, mesmo em casos de agressões com fratura ou perda de dentes.

Reprodução/Instagram @henricastelli - Reprodução/Instagram @henricastelli
Radiografia do ator Henri Castelli após agressão
Imagem: Reprodução/Instagram @henricastelli
Não é comum ver um maxilar com uma fratura exposta. Para que isso ocorra, é necessário um impacto extremamente violento. Até pra mim, que sou profissional de saúde, foi assustador.
Rana Saleh, cirurgiã-dentista
Continua depois da publicidade

Ainda é cedo para dizer se o ator ficará com sequelas, mas a cirurgiã-dentista adiantou que ele terá que passar por tratamentos e reabilitação.

Lesão corporal grave

Em entrevista ao UOL, o delegado responsável pelo caso, Fabrício Lima do Nascimento, explicou que as investigações estão em fase final e devem ser concluídas em até 15 dias.

Fabrício adiantou que os envolvidos foram identificados, prestaram depoimento e serão indiciados por lesão corporal grave. Segundo o delegado, a confusão teria começado após uma discussão sobre uma festa realizada em uma marina local.

Ainda tentaremos outras imagens para auxiliar nas investigações. Já ouvimos mais de 10 pessoas. Creio que em até 15 dias, entregaremos o inquérito ao Ministério Público.
Fabrício do Nascimento, delegado