PUBLICIDADE
Topo

Como Katylene e Daniel Carvalho mudaram (muito) a internet brasileira

Beatriz Amendola

De Splash, em São Paulo

09/01/2021 12h36

A notícia da morte de Daniel Carvalho, aos 32 anos, que estava internado desde o final do ano passado com problemas renais, causou comoção nas redes sociais. Criador de Katylene Beezmarchy, ele e a personagem marcaram toda uma geração que começou a usar o Twitter logo no comecinho, quando tudo era mato.

Abaixo, relembramos a personagem e contamos como ela influencia (até hoje!) nos memes e em tudo que você lê por aí nas redes!

A criação

Katylene Beezmarchy, travesti nascida em Xerém (RJ) e moradora de M'Boi Mirim (SP), apareceu pela primeira vez no "Papel Pobre", um blog de Daniel que parodiava o "Papel Pop".

Ela comentava notícias dos famosos com um humor ácido e se tornou (mais) conhecida por dar um furo: um suposto vídeo íntimo de um ex-BBB, que repercutiu em outros grandes portais. Babado!

Depois, ganhou seu próprio site para comentar tudo em uma época em que não existia Instagram de fofoca (nem Instagram, na verdade).

A linguagem

Se você escreve ou já escreveu "phyno", "gentchy", "Braseel" ou viu alguém escrevendo assim, isso se deve a Katylene, que criou um estilo próprio de escrita e influenciou geral.

Ela ainda ajudou (e muito!) a popularizar o pajubá, linguagem usada pela comunidade LGBT. Foi pela Katy que muita gente conheceu termos como "mona", "bafo" e "gongar".

Dá para imaginar a internet sem eles?

Ah, e não vamos esquecer: foi ela quem deu a Britney Spears o carinhoso apelido de Neide. Rainha, né?

Memes e memes

Sem Katylene, muita gente não teria conhecido memes que fizeram a nossa alegria:

Vanessão e seus "fintchy reais"...

"Segura, Berenice, nós vamos bater" e o #BereniceDay

O "TEMÇO"

E o bordão "com licença, Luciana", antes de soltar aquela polêmica.

Da web para a vida real

Katylene foi uma das primeiras webcelebridades a ir para a "mídia tradicional", beeeem antes de nós até conhecermos a palavra "influencer" e de Boninho resolver colocá-los no "BBB".

Ela ganhou um programa na antiga MTV para comentar notícias dos famosos:

Seu criador, Daniel Carvalho, chegou a ser contratado pela Band em 2012 para integrar a equipe do "Muito Mais" e, depois, fez outros trabalhos como apresentador.

Como bem diz a bio da Katynele no Twitter: "Não, eu nunca morro". O legado vai ficar para sempre.