PUBLICIDADE
Topo

Quem é Tarcísio do Acordeon, dono da música mais tocada na virada do ano

Tarcísio do Acordeon
Tarcísio do Acordeon
Divlugação

Guilherme Lucio da Rocha

De Splash, em São Paulo

07/01/2021 04h00

Segundo a plataforma de streaming Deezer, a música mais tocada durante a virada do ano foi "Meia Noite (Você Tem Meu WhatsApp)", cantada na voz de Tarcísio do Acordeon.

Continua depois da publicidade

Tarcísio, cearense de Campos Sales, cidade do interior que fica a cerca de 500 km da capital Fortaleza, conversou com Splash e disse ainda não acreditar no sucesso estrondoso da música que tem composição de Zé Malhado e um nome bem sugestivo para se ouvir na virada, diz aí?!

É uma coisa de Deus. Essa música já tinha sido interpretada por vários músicos. Coloquei no repertório quase que para preencher espaço e deu no que deu. Não esperava essa explosão.
Tarcísio do Acordeon

Por conta da pandemia do novo coronavírus e das medidas de distanciamento social, Tarcísio diz que não teve a oportunidade de saber a dimensão do seu sucesso.

Só percebi que a coisa está grande pelos números nas redes sociais e streamings, que dispararam quando o Wesley Safadão cantou minha música.

Para um músico, o grande troféu é ver sua música na boca do povo. Ainda não tive chance de rodar o Brasil e ter a dimensão disso tudo. Estou louco para ter contato com o público.
Tarcísio do Acordeon
Continua depois da publicidade

Cria da roça e filho de músico

Tarcisio de Lima Souza, 27, é daqueles casos em que a música está na veia. Filho de cantor de forró, ele conta que aprendeu a tocar violão aos oito anos, e aos 12 já subia nos palcos da vida.

Como você deve ter imaginado, o nome artístico Tarcísio do Acordeon vem da relação dele com o instrumento que ganhou fama no nordeste brasileiro e é presença certa nos grupos de forró.

Para falar a verdade, nunca fiz outra coisa da minha vida a não ser tocar e cantar. Ainda criança, peguei acordeon para o nome porque me apaixonei pelo instrumento.
Tarcísio do Acordeon

O músico passou a infância na "roça" e, na adolescência, passava "temporadas" com o pai em São Paulo para tentar ganhar um dinheiro a mais.

Antes de fazer sucesso na frente dos palcos, ele integrou bandas de cantores famosos. Tarcísio não cita nomes, mas reclama da desvalorização da "cozinha".

Continua depois da publicidade
Faço questão de tratar minha banda como igual. Conheço o outro lado da moeda. Tinha cantor que não deixava os músicos da banda compartilharem comida do camarim, era bem escroto.
Tarcísio do Acordeon

2021, um ano ainda melhor para o forró

2020 foi o ano do forró e seus derivados —como o piseiro. Com expoentes como Os Barões da Pisadinha, o ritmo invadiu as casas de todo o Brasil —enquanto elas estiveram abertas— e dominou as paradas musicais nas plataformas de streaming.

Para Tarcísio, muito desse sucesso se deve a versões mais "light" das composições e uma identificação do público com as histórias narradas nas músicas. O cantor acredita que o fenômeno não será uma brisa passageira.

O forró se reinventa como nenhum outro ritmo, é impressionante

Continua depois da publicidade
Acho que nos últimos anos tinha muita música com putaria. Isso afasta o público. Hoje, você vê mais letras falando de amor, de sofrência.
Tarcísio do Acordeon