PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro posta trecho de animação, mas omite quem é real vilão da história

Bolsonaro postou trecho do curta "A Tale of Momentum & Inertia", criado pelo estúdio House Special - reprodução/House Special
Bolsonaro postou trecho do curta "A Tale of Momentum & Inertia", criado pelo estúdio House Special Imagem: reprodução/House Special

Ana Carolina Silva

De Splash, em São Paulo

22/12/2020 19h38

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicou hoje, em seu perfil oficial do Twitter, um trecho editado da animação "A Tale Of Momentum & Inertia", do estúdio House Special. O vídeo postado mostra um gigante que tenta impedir uma pedra de atingir um vilarejo, mas o próprio povo o ataca de volta —algo que parece injusto, já que as imagens indicam que ele estaria tentando proteger o local.

Ele não explicou o que quis dizer com o post. Mas a versão completa do curta-metragem (disponível no YouTube) revela que, na verdade, o gigante é o verdadeiro vilão da história: ele foi o responsável por derrubar a pedra do topo da montanha. Veja a animação na íntegra:

Logo no começo, o gigante coloca a pedra no topo do morro, se vira de costas e, aparentemente sem querer, faz com que ela comece a rolar para baixo em alta velocidade.

Ou seja, o problema apresentado pela animação foi causado pelo próprio personagem.

A partir daí, ele corre para tentar impedir que a pedra atinja a estrutura do vilarejo, mas acaba derrubando um pedaço da construção com o pé. Os moradores passam a atingi-lo com armas de vários tipos.

No fim, o gigante parece se irritar com a reação das pessoas e decide soltar a pedra para atropelar o local, que é imediatamente esmagado pela força do objeto.

O trecho publicado por Bolsonaro também não conta com os créditos. O curta "A Tale of Momentum & Inertia" foi criado pelo estúdio House Special e dirigido por Kameron Gates.

bolsonaro - Alexandre Neto/Photopress/Estadão Conteúdo - Alexandre Neto/Photopress/Estadão Conteúdo
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em cerimônia de formatura de soldados da Polícia Militar do Rio de Janeiro
Imagem: Alexandre Neto/Photopress/Estadão Conteúdo