PUBLICIDADE
Topo

Porta dos Fundos: 'Só estamos vivos porque não fizemos Jesus gay e preto'

Em 2019, o especial de Natal do Porta dos Fundos foi exibido pela Netflix
Em 2019, o especial de Natal do Porta dos Fundos foi exibido pela Netflix
reprodução/Porta dos Fundos e Netflix

Ana Carolina Silva

De Splash, em São Paulo

09/12/2020 13h19

Na véspera de mais um especial de Natal do Porta dos Fundos, o grupo reflete sobre o que viveu desde 2019, como a tentativa de censura e o atentado à bomba na sede da produtora. A polêmica nasceu porque o especial do ano passado deu traços homoafetivos ao personagem de Jesus.

Eu tenho certeza de que só jogaram as bombas no Porta porque Jesus era gay no especial do ano passado. Acho que a gente só está vivo porque Jesus não era gay e preto; senão, seriam ainda mais bombas.

- Antonio Tabet, um dos criadores do Porta

Continua depois da publicidade

Para eles, não há qualquer dúvida de que o ataque teve motivações homofóbicas.

O Porta dos Fundos destaca o tempo todo que, no especial de 2018, Jesus era um "mau-caráter", mas isso não gerou comoção nacional como a representação de um Cristo que poderia ser gay.

especial porta dos fundos - reprodução/Porta dos Fundos e Netflix - reprodução/Porta dos Fundos e Netflix
Em 2019, o especial de Natal do Porta dos Fundos foi exibido pela Netflix
Imagem: reprodução/Porta dos Fundos e Netflix

A equipe do Porta dos Fundos comentou estas diferenças de tratamento hoje, em coletiva de apresentação do especial de Natal de 2020 (que já foi visto por Splash). Neste ano, o título é "Teocracia em Vertigem", uma paródia do documentário político "Democracia em Vertigem".

Veja o trailer do novo especial:

Jesus não é homossexual nesta história —embora haja uma piada sobre "Deus baitola"—, mas o subtexto político é forte e pode gerar mais debate nos próximos dias. Referências vão desde o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) até a ascensão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Continua depois da publicidade

Eu não acho que a gente pegou mais leve. O personagem do Gregorio Duvivier fala que é um Deus que 'senta', um Deus 'bicha'. Ano passado, a revolta de alguns foi por homofobia. Isso diz muito mais sobre as pessoas que se revoltaram do que sobre o especial.

- Fabio Porchat

Relembre o especial de 2019:

'Foi bem feito a bomba', 'quero ver fazer piada com mitologia romana', 'se Jesus voltar, eu mato de novo'. Essas são frases como as que a gente recebeu. Botei muitas frases dos 'minions', dos Olavos, dos terraplanistas... Tem muita referência no clipe que encerra nosso especial.

- Porchat

Todos eles foram categóricos na resposta a uma pergunta: o Porta dos Fundos cogitou não fazer o especial de Natal em 2020 por medo dos ataques? Não.

A gente nunca pensou em não lançar o especial. A gente sempre gostou muito dessa cereja do fim do ano. Os acontecimentos nos deixaram mais tristes do que com medo, por morarmos em um país radical... Aí ficou comprovado mesmo que as pessoas são muito malucas.

- João Vicente de Castro

Continua depois da publicidade
porta dos fundos especial - Reprodução - Reprodução
Imagem do especial Primeira Tentação de Cristo, do Porta dos Fundos
Imagem: Reprodução

Diferentemente do no ano passado, o especial não entrará mais na Netflix. O lançamento será direto no YouTube do Porta. Porchat disse:

Não só a gente nunca teve dúvida de que faria o especial, a Viacom também não teve. Quanto ao do ano passado, a Netflix foi muito parceira na luta contra a censura.

Em comum acordo com a Netflix, a gente optou por tirar e trazer para o nosso canal por ser mesmo o DNA da marca, por ser o momento de reforçar o que o Porta é como tom de voz. Tanto é que a Netflix liberou para a gente os outros dois especiais.

- Christian Rôças (Crocas), CEO do Porta