PUBLICIDADE
Topo

MC Maneirinho se diz revoltado com intimação: 'Estão perseguindo o funk'

MC Maneirinho - Reprodução / Instagram
MC Maneirinho Imagem: Reprodução / Instagram

Guilherme Lucio da Rocha

De Splash, em São Paulo

29/10/2020 12h57Atualizada em 29/10/2020 19h23

O MC Maneirinho recebeu hoje (29) uma intimação para depor à Polícia Civil do Rio de Janeiro sobre acusação de apologia ao crime. O funkeiro carioca é autor de "Amiga Fura Olho", "Que Saudade da Minha Ex" e "Chefe é Chefe", que somam mais de 100 milhões de visualizações no YouTube.

Em entrevista para Splash, Diogo Rafael Siqueira, nome de batismo do cantor, disse estar indignado e que não faz ideia do que teria motivado a investigação policial.

Para falar a verdade, nem acredito que isso seja real. A polícia vai investigar o Wagner Moura por interpretar o Pablo Escobar? Vai ir atrás dos playboys que sobem o morro para retratar o que acontece na favela nos documentários? Eu sou MC, eu retrato o que acontece nas comunidades, essa é a minha arte.

Ele garante que suas letras atuais não exaltam o crime organizado e que apenas dá voz ao que acontece nas favelas do Rio de Janeiro.

Lá no começo da minha carreira, há seis, sete anos, eu cantava o que eles chamam de proibidão. Mas isso ficou no passado, hoje eu canto o que se passa nas favelas. É inacreditável eu ter que ficar na frente de um delegado para explicar a minha arte. A música que eu faço não leva ninguém a pegar no fuzil ou a traficar. Pelo contrário, eu canto superação.

Maneirinho também falou sobre as investigações sobre outros funkeiros, como o DJ Rennan da Penha e o MC Poze do Rodo, ambos acusados de associação ao tráfico.

Se isso não é perseguição ao funk, o que é? E não começou hoje. Eu fui apadrinhado pelos finados MC Sapão e Mr. Catra, que passaram pelo mesmo sofrimento. Parece que só mudam as figurinhas que viram alvo. Acho que a polícia do Rio de Janeiro tem problemas reais para cuidar ao invés de ficar caçando artista.

O depoimento de Maneirinho está marcado para a próxima quarta-feira, 4 de novembro. Splash entrou em contato com a Polícia Civil, para ter mais detalhes da investigação que o cantor é alvo, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria.

Quarta que vem, minhas palavras vão ser as mesmas. Deus está comigo.

MC Cabelinho, que compôs o funk "Migué" com Maneirinho, também foi intimado e compareceu hoje à Cidade da Polícia, na Zona Norte do Rio de Janeiro, para depor. Em nota, Cabelinho também falou em perseguição:

Podem ter certeza que, até onde puder, eu vou continuar fazendo a minha música assim. Prenderam Rennan da Penha e querem me prender. Vão querer prender todo o favelado que consegue espaço e reconhecimento na sociedade.