PUBLICIDADE
Topo

'Borat 2': o que dizem as 'vítimas' que apareceram no filme

Sacha Baron Cohen como Borat
Sacha Baron Cohen como Borat
Divulgação

Beatriz Amendola

De Splash, em São Paulo

29/10/2020 12h03Atualizada em 30/10/2020 11h05

"Borat: Fita de Filme Seguinte", o segundo filme com Sacha Baron Cohen na pele do jornalista do Cazaquistão, estreou no último dia 23 no Amazon Prime Video e vem dando (MUITO) o que falar —especialmente entre as "vítimas" que apareceram no filme.

De Rudy Giuliani à influencer Macy Chanel, os surpreendidos por suas participações na comédia vêm contando um pouco sobre os bastidores da produção, e compilamos tudo aqui para você:

Continua depois da publicidade

Rudy Giuliani

giuliani - Joshua Roberts/Getty Images - Joshua Roberts/Getty Images
Imagem: Joshua Roberts/Getty Images

Giuliani, ex-prefeito de Nova York e advogado do presidente Donald Trump, tem a participação mais controversa. Ele concede uma entrevista a Tutar (Maria Bakalova), filha de Borat. Depois, os dois vão para um quarto de hotel, onde Giuliani se deita na cama e coloca a mão dentro da calça.

Antes da estreia do filme, Giuliani se defendeu.

Eu estava colocando a minha camisa para dentro depois de tirar o microfone. Em nenhum momento antes, durante ou depois da entrevista eu agi de forma inapropriada. Se Sacha Baron Cohen indicar o contrário, ele é um grande mentiroso.

Continua depois da publicidade

Macy Chanel

A influenciadora, que tem mais de 88 mil seguidores no Instagram, aparece logo no começo do filme, analisando o que Tutar precisa para ser uma "sugar baby" —uma mulher que se envolve com homens mais velhos e ricos.

Quando Tutar diz que quer um homem perto da morte, Macy diz que ela precisa encontrar alguém "que acabou de ter um ataque cardíaco". Ela ainda fala que é necessário aparentar fraqueza e submissão para seduzir esses homens.

Ao IndieWire, ela disse acreditar que a cena era para uma série da Netflix.

Eu fui enganada para fazer um papel que não reflete quem sou. Eu tenho uma carreira bem-sucedida de modelo e atriz, e posso fazer qualquer papel. Neste caso, eu não li as letras miúdas.

A babá Jeanise Jones

Em certo momento do filme, Borat deixa Tutar com a babá profissional Jeanise Jones, que fica (justificadamente) horrorizada ao ver como ele trata a filha e explica a ela, bem didaticamente, que as mulheres podem dirigir e ler.

Ela também achava que estava gravando outra coisa.

Continua depois da publicidade

Eu fui recrutada para aparecer em um documentário. Em nenhum momento eu sabia que aquilo era uma comédia satírica e que eu estava em uma armação, por assim dizer.
Jeanise Jones, no Facebook

A sobrevivente do Holocausto Judith Dim Evans

Usando um traje claramente anti-semita, Borat entra em uma sinagoga, onde encontra Judith Dean Evans, uma sobrevivente do Holocausto. Ela conversa com eles sobre preconceitos contra os judeus e explica que o Holocausto realmente aconteceu.

judith e borat - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Evans morreu neste ano, e seus representantes entraram com um processo contra a Amazon e a Oak Studio Productions, alegando que ela deu a entrevista acreditando que se tratava de um "documentário sério".

Continua depois da publicidade

"Depois de descobrir, após a entrevista, que o filme era uma comédia que pretendia zombar do Holocausto e da cultura judaica, a Sra. Evans ficou horrorizada e chateada", disseram. "Se ela tivesse sido informada da verdadeira natureza do filme, ela não teria concordado em participar da entrevista".

No entanto, o Deadline noticiou na última segunda-feira que o processo foi arquivado, o que foi confirmado pela Amazon. Segundo o veículo, a produção revelou a Evans a verdade sobre o filme após a gravação. Baron Cohen, inclusive, dedica o longa a ela nos créditos.