PUBLICIDADE
Topo

Terror, isolamento, romance gay: elenco conta como foi fazer Novos Mutantes

Cena de 'Novos Mutantes'
Cena de 'Novos Mutantes'
Divulgação

Beatriz Amendola

De Splash, em São Paulo

22/10/2020 04h00

"Novos Mutantes" finalmente viu a luz do dia! Depois de uma saga que envolveu refilmagens que nunca aconteceram, a compra da Fox pela Disney e a pandemia de covid-19, o filme estreou em algumas cidades brasileiras nesta quinta (22).

E não dá para negar: "Novos Mutantes" é a produção mais diferente do mundo dos X-Men, pelo menos até agora. O diretor Josh Boone ("A Culpa É Das Estrelas") criou uma história de terror que gira em torno de cinco adolescentes presos em um hospital, cada um lidando com seus traumas e seus poderes.

Continua depois da publicidade

Splash foi descobrir mais sobre o filme em um papo com Boone e os atores Alice Braga (Cecilia Reyes), Henry Zaga (Roberto/Mancha Solar), Maisie Williams (Rahne/Lupina), Blu Hunt (Danielle/Miragem), Anya Taylor-Joy (Ilyana/Magia) e Charlie Heaton (Sam/Míssil). Vem com a gente!

Ufa, saiu!

Para começar: Josh Boone está feliz de ter conseguido lançar "Novos Mutantes" depois de tanto vai e vem, e com sua visão original. Segundo relatos da imprensa internacional, o estúdio não havia embarcado completamente no tom de terror do filme, daí o pedido para refilmagens.

Parece que escapamos do hospital em que estávamos presos. Estou muito feliz que as pessoas poderão vê-lo, e que elas poderão ver a minha versão. Estou feliz que conseguimos terminar o filme e que apesar dos vários atrasos tudo deu certo.
Josh Boone

Só o timing ficou, hum, apropriado demais. "É estranho que o filme esteja saindo justo quando as pessoas estão presas como os personagens estavam".

Continua depois da publicidade

Isolamento e romance

A trama acompanha os cinco mutantes e a Dra. Cecilia Reyes, isolados no hospital —o que significa que o elenco e a equipe do filme também ficaram meio isolados enquanto gravavam, nos Estados Unidos. Isso lá em 2017, bem antes de o coronavírus trancar todo mundo em casa.

No fim das contas, isso foi bom especialmente para Maisie e Blu, que vivem um romance no filme.

O primeiro romance lésbico de um filme da Marvel, na verdade.

maisie blu novos mutantes - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Para Maisie, o fato de ela e Blu terem criado uma amizade enquanto estavam longe de tudo e todos foi essencial para a química de Lupina e Miragem na tela:

Continua depois da publicidade

Estar longe da sua família e seus amigos por tanto tempo assim pode ser uma experiência exaustiva. Então poder ter alguém com quem você pode passar tempo foi muito, muito importante. E é isso que você vê na tela, a amizade que desenvolvemos.

Maisie Williams

Blu concorda: "Nossas personagens são muito atraídas uma à outra, e estão nessa situação de estarem presas em um lugar por um longo período. Nós também, como atrizes, nos tornamos muito amigas e passamos muito tempo juntas".

Traumas e terror

Mas para além do isolamento, "Novos Mutantes" também fez seu elenco entender como lidar com os traumas de seus personagens —uma parte essencial do terror da história.

O brasileiro Henry Zaga, por exemplo, além de treinar para ficar com o físico sarado de Roberto (e até ficar um dia sem beber água), foi pesquisar como jovens que haviam cometido crimes se readequavam à sociedade.

Continua depois da publicidade

Nossos poderes são muito traumatizantes, e as coisas que cometemos, acidentalmente ou não, só podem ser contadas com o terror. Não tentamos nos esconder atrás dos clichês, ele é parte da nossa história.

henry zada novos mutantes - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Já Anya Taylor-Joy teve que aprender a mostrar sua raiva para realmente encarnar o lado "pistola" de Magia.

Eu não sou uma pessoa que fica brava com frequência, e Ilyana é uma personagem maior do que tudo que já fiz antes. Ela é agressiva de uma forma muito clara, para manter as pessoas longe. Então eu tive que ser mais corajosa e andar pisando forte, por exemplo.

Outra coisa que ela fez foi treinar os ouvidos para o russo, já que sua personagem é de lá, como dá para imaginar: "Ouvi muitos programas de rádio russos, programas de todo o tipo".

Continua depois da publicidade

Quem também ouviu muitos programas de rádio? Charlie Heaton, para acertar o sotaque de Sam, que trabalhava em minas de carvão no Kentucky antes de aparecer no hospital. "Era um programa de entrevistas com policiais do Kentucky. Fiquei escutando para tentar entender como eles falavam".

E a Dra. Reyes?

Mas vamos falar da personagem mais misteriosa do filme, a Dra. Cecilia Reyes. E quem melhor para isso do que a própria Alice Braga? Ela conta que trabalhou bastante com o diretor Josh Boone para construir a personagem como uma mentora que esconde suas reais intenções.

Falei muito com ele para entender como lidar com eles, porque sou de uma geração diferente. Mas ao mesmo tempo, não estamos distantes um dos outros, então foi interessante criar esse laço de afeto e também de interesse, adicionando um suspense.

alice braga novos mutantes - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Alice, que em 2021 vai aparecer em outro filme baseado em quadrinhos, o "Esquadrão Suicida" de James Gunn, aprovou a mistura de heróis e terror que "Novos Mutantes" trouxe.

Continua depois da publicidade

Foi uma combinação perfeita da ação de um filme de super-heróis com o horror e o clima de suspense. É ótimo para trazer algo novo e fresco para a franquia.